Polícia Civil fecha posto que vendia gasolina adulterada

O limite de álcool na gasolina é de até 27%, mas este posto colocava 62%

Segurança Pública Em 08/02/2020 01:09:07

Na tarde de quinta-feira, dia 06/02, a Polícia Civil de Arujá comandou uma operação para acabar com a venda de combustível adulterado em um posto de combustível, localizado na Rua Duque de Caxias, Bairro Jd. Rincão.

Os investigadores identificaram que o gerente C. R. da S., 39 anos, estava no local, diferente de outras ocasiões em que, ao perceber a presença da polícia, ele e todos os demais funcionários fugiam do posto. 

Os policiais imediatamente comunicaram o fato para o Delegado Titular de Santa Isabel e Arujá, Dr. Claudio Lopes que, já no posto de combustível, acionou a perícia junto ao Instituto de Criminalística e a fiscalização da ANP (Agência Nacional de Petróleo).

“Aguardamos o agente fiscal realizar os exames. Ele constatou ‘in loco’ que a gasolina comum comercializada nas bombas do estabelecimento continha uma porcentagem de etanol de 62%, volume extremamente superior ao permitido por lei que é de 27% e, diante dos fatos, prendemos o responsável pelo crime contra as relações de consumo”, diz Dr. Claudio.

O agente fiscal também autuou o gerente do Posto e lacrou as bombas. E, por indisponibilidade dos agentes do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo – IPEM as bombas vão continuar lacradas, até que seja realizada fiscalização deste órgão.

Os próprios frentistas identificaram C. R. da S. como o Gerente do Posto. Assim, ele recebeu voz de prisão e foi conduzido até a Delegacia de Arujá onde, após lavrado o Boletim de Ocorrência, o Delegado de Polícia ratificou a voz de prisão, incursionando-o nas penas do crime Contra as Relações de Consumo, uma vez que ele foi surpreendido, expondo e vendendo mercadoria, cuja composição está em desacordo com as prescrições legais.

O Gerente foi recolhido à carceragem do Primeiro Distrito Policial de Guarulhos, onde permaneceu à disposição da Justiça Pública.