Pedófilo é preso em flagrante

Fotos do pênis, vídeos de masturbação e mensagens indecorosas ele mandou para uma menina de 8 anos

Segurança Pública Em 10/05/2019 22:52:55

Ontem, dia 10/05, a Polícia Civil de Santa Isabel prendeu em flagrante Alexandre Aparecido Lobo, 45 anos, por armazenar vídeos e fotos de pornografia envolvendo crianças e adolescentes (art. 241-B, Lei no 11.829/2008). “Se condenado, ele pode ficar preso de um a quatro anos”, explica o Delegado da Polícia Civil, Dr. Cláudio Lopes.

No dia 29/04, os pais de uma menina denunciaram na delegacia que um homem tentava aliciar/seduzir a filha de apenas 08 anos. “Nós orientamos os pais para que mantivessem a calma até que pudéssemos confirmar a identidade do indivíduo. Paralelamente, solicitei um mandado de busca e apreensão na residência do sujeito suspeito de pedofilia”, descreve o Delegado.

No celular, num pen drive e também no computador de Alexandre, os policiais encontraram fotografias e vídeos pornográficos de crianças e adolescentes. Também acharam fotos e vídeos, do próprio Alexandre, idênticas as imagens que ele enviou para a criança de 08 anos. “Ele alegou que recebeu esse material pela internet de pessoas desconhecidas e se recusou a esclarecer como conseguiu o telefone da menina protegida pelos pais”, diz Dr. Cláudio Lopes.

Diante dos fatos e em razão das provas encontradas, o Delegado arbitrou uma fiança de R$10 mil, que não foi quitada até o final da noite de ontem. Encaminhado para a carceragem em Guarulhos, Alexandre segue preso à disposição da Justiça. 

Dr. Cláudio recomenda que, em caso de suspeita de aliciamento de menor, a família deve fazer o mesmo que neste caso, procurar a polícia e registrar o Boletim de Ocorrência.

A estratégia do aliciador

Inicialmente, Alexandre se apresentou para a menina de 08 anos como se fosse um outro garoto. A foto do perfil de WhatsApp, que ele usava para conversar com outras crianças, era de um menino de Santa Isabel que já faleceu. Só depois de cativar a confiança da menina, ele se revelou como adulto.

Os pais da criança desconfiaram que havia algo errado quando ela começou a apresentar um comportamento diferente. “Ela estava assustada, nervosa e tinha medo, o pedófilo dizia para ela não contar nada para nós, que seria um segredo só deles”, conta o pai da menina. 

A criança contou para a mãe, que começou a se passar pela filha para identificar as verdadeiras intenções de Alexandre. Depois, com outro celular, a mãe se passou por uma jovem que mandou mensagem por engano. Em ambos os casos, Alexandre mandava vídeos e fotos pornográficas.

Os pais reuniram “prints” das conversas e demais registros e anexaram ao Boletim de Ocorrência. “Não foi fácil me segurar, eu quis castigar esse marginal, mas confiei nos policiais e espero que a justiça seja feita”, disse o pai da criança. 

Foi a capacidade de observar a filha e identificar mudanças de comportamento que garantiram a segurança da criança. O pai da menina ressalta que ser vigilante nos cuidados com os filhos podem salvá-los da maldade do mundo. “Fiquem atentos”, alerta.