Patrícia Simão visa readequar lei dos bancos

A vereadora lembrou o processo de distribuição de senhas bancárias.

Política Em 09/11/2017 17:57:48

por Assessoria de Imprensa da Câmara de Santa Isabel

A vereadora lembrou o processo de distribuição de senhas bancárias. Segundo ela, o tempo limite de espera nas filas é contraditório, uma vez que as senhas são distribuídas após uma longa espera dos clientes na parte exterior da agência.

Foi durante sessão ordinária da Câmara de Santa Isabel, realizada na noite de ontem, 7, que a legisladora voltou a falar do problema que atinge milhares de isabelenses. A espera na fila dos bancos da cidade, apesar da lei, continua sendo o maior desafio dos munícipes.

A Lei citada pela parlamentar é a Lei Complementar nº 92 de 9 de maio de 2005, a qual estabelece o tempo hábil para atendimento, de até 15 minutos em dias normais, 25 minutos às vésperas e após os feriados prolongados e 30 minutos nos dias de pagamento dos funcionários públicos municipais, estaduais e federais.

"Em realidade, as agências burlam a lei, distribuindo as senhas somente no momento em que o cliente entra no banco. Entretanto, o cliente já permaneceu na fila de espera até conseguir pegar a senha, ou seja, o tempo que o cliente permaneceu aguardando atendimento, é muito maior do que realmente é registrado em senha", explicou a parlamentar, que garantiu verificar com o setor jurídico da Casa de Leis, formas de facilitar o cliente a fazer a denuncia, bem como readequar a lei dos bancos em Santa Isabel.

A demora do atendimento nas agências bancárias de Santa Isabel chega a superar em até três vezes o tempo máximo estabelecido por lei: 15 minutos em dias normais. Em alguns casos, idosos e deficientes físicos não recebem atendimento diferenciado. Os bancos que desrespeitam a legislação em Santa Isabel podem ser multados em até R$60 mil, segundo com a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon).