Para evitar fechamento de escola do Retiro, Arujá pedirá concessão a Santa Isabel

A iniciativa da Prefeitura arujaense se dá após a Secretaria de Educação de Santa Isabel informar que provavelmente fecharia a unidade, responsável por atender mais alunos de Arujá que daquela cidade

Política Cidades Educação Em 29/10/2019 13:42:32
por AIPMA

 

         A Prefeitura de Arujá formalizará ao Executivo de Santa Isabel um pedido de concessão para assumir a administração da Escola Municipal do Retiro e, assim, evitar o fechamento da unidade que atende mais de 60 crianças arujaenses. A decisão foi comunicada em reunião com a comunidade local nesta quinta-feira (24/10).

         A iniciativa da Prefeitura arujaense se dá após a Secretaria de Educação de Santa Isabel informar que provavelmente fecharia a unidade, responsável por atender mais alunos de Arujá que daquela cidade.

         Participaram da reunião com os moradores a secretária arujaense de Educação, Priscila Sidorco, o secretário de Governo, Leandro Larini, o vereador Abel Franco Larini, o Abelzinho, além da chefe da Pasta da Educação isabelense, Aline Gema Caraça Franco.

         “Tínhamos duas opções: pedir para assumir a escola ou garantir vaga para estas crianças em outra unidade de Arujá, possivelmente no bairro Vila Arujá. Viemos aqui para ouvir a população, que naturalmente prefere manter as crianças aqui e, atendendo a esse pedido, tomamos a decisão”, explicou Larini.

         De acordo com a secretária arujaense, “agora nós iniciaremos os trâmites burocráticos para a cessão da escola. O mais importante é que os alunos não serão prejudicados”, afirmou.

        “Fomos chamados pela população, que estava assustada com a possibilidade de ficar sem a escola. Graças ao bom relacionamento com Santa Isabel, a melhor opção para os moradores será garantida”, afirmou Abelzinho.

         Alívio

         Depois de semanas com a incerteza sobre o que ocorreria com a unidade, a moradora Marta aparecida Rodrigues de Almeida pôde ficar aliviada. “Minha neta que está no primeiro ano (estuda na unidade). A decisão de não fechar a escola foi a melhor”, afirmou.