Palau autoriza licitação do desvio do pedágio

Um dia depois de se reunir com técnicos da Rota das Bandeiras a quem comunicou a pavimentação da estrada de acesso à região noroeste de Igaratá, isolada pelo pedágio, o prefeito Celso Palau assinou ontem, 09/11, a autorização para abertura da licitação da obra.

Cidades Em 09/11/2018 23:12:34

Um dia depois de se reunir com técnicos da Rota das Bandeiras a quem comunicou a pavimentação da estrada de acesso à região noroeste de Igaratá, isolada pelo pedágio, o prefeito Celso Palau assinou ontem, 09/11, a autorização para abertura da licitação da obra.

Recebido na sede da concessionária da rodovia D. Pedro I pelos engenheiros Douglas Longhi, de relações institucionais e Thiago José Alves, de operação e conservação de rodovias, Palau explicou a necessidade do investimento assinalando que cerca de 40% da população do município necessita deslocar-se sujeitando-se a uma estrada de terra ou pagando o pedágio na rodovia. Destacando o alto custo tanto para os cidadãos como para o município, Palau solicitou uma parceria através da qual seja possível evitar a fuga do pedágio por caminhões e veículos de outros municípios. “Para Igaratá, interessa também a arrecadação, uma vez que a cidade recebe imposto proporcional ao volume de tráfego”, disse o Prefeito.

Diversas opções foram apresentadas, entre elas a instalação de limitadores de altura que será instalada pela própria Rota das Bandeiras com a advertência de que veículos como caminhões betoneiras terão de passar pelo pedágio assim como baús especializados, acima da altura padrão. A instalação de cabinas de pedágio com liberação de veículos emplacados no município foi descartada em razão do alto custo de manutenção. Foi definida que a concessionária enviará uma equipe técnica para avaliar as condições e a melhor forma de evitar a fuga do pedágio e a depreciação da via alternativa com a passagem de veículos com excesso de peso.

Outro tema tratado foi o pedido de fresas de asfalto (raspadinha) para uso nas estradas municipais. O Diretor de relações Institucionais, engenheiro Douglas explicou que nesse ano não foi realizado nenhuma substituição de asfalto, limitando a reparos em alguns pontos dispersos, informando que em 2019 um novo ciclo de recapeamento da rodovia, quando haverá mais material disponível. Contudo comprometeu-se a analisar o estoque existente, direcionando uma cota para Igaratá.