O rico lixo de final de ano

Há 25 anos o igarataense José Maurício da Silva trabalha no setor de coleta de lixo do município onde está designado como motorista.

Cidades Em 08/01/2021 21:31:25

Há 25 anos o igarataense José Maurício da Silva trabalha no setor de coleta de lixo do município onde está designado como motorista. Essa semana ele admitiu: - Nunca ví tanto lixo na minha vida. Onde bastava uma viagem, nesse início de ano fizemos três ou quatro! E ele próprio justifica dizendo que com “essa pandemia, todas as pessoas que tem propriedades em Igaratá vieram para cá trazendo amigos e parentes”.

Ele conta que nos primeiros dias a Prefeitura trabalhou com dois caminhões, mas logo um deles quebrou deixando somente um trabalhando. – Já arrumaram, mas por dois dias foi somente um caminhão que fez a coleta o que levou muita gente a reclamar.

Segundo ele as chuvas não interferiram na coleta, as estradas sofreram com as enxurradas, mas nós conseguimos atender muitos bairros na zona rural, mas ficamos mais concentrados mesmo na região central, Rosa Helena, mais perto do centro.

José Maurício observa que os coletores de materiais recicláveis que foram para os bairros mais afastados encheram seus veículos: - Muito papelão, muita lata, alumínio, ferro e outros materiais. Se a população ajudasse, a coleta da Prefeitura seria suficiente. Bastava que o povo fizesse a seleção!