O potencial turístico e econômico de Santa Isabel

Rafael Morais promove caminhadas pela Serra de Itaberaba e já trouxe mais de mil pessoas para Santa Isabel. O que é diversão para ele, torna-se ganho financeiro para comerciantes da cidade

Turismo & Natureza Cidades Economia & Negócios Em 04/12/2015 21:26:34

Reportagem: Bruno Martins

 

O guia turístico Rafael Morais, 34, traz anualmente para Santa Isabel mais de mil pessoas, de lugares e culturas diferentes. Orgulhoso da cidade em que nasceu, Rafael apresenta as maravilhas escondidas na mata atlântica. Ele conhece com maestria cada trecho dos 20 quilômetros de trilhas da Serra do Itaberaba. E o que começou como uma busca pela saúde e bem-estar, hoje é fonte de renda extra e ainda faz girar a economia do comércio local. 

Na linguagem tupi-guarani, a Serra do Itaberaba quer dizer “Pedra brilhante” e em Santa Isabel o acesso se dá pelo bairro Pedra Branca, mas o parque inteiro perpassa outros quatro municípios: Nazaré Paulista, Arujá, Guarulhos e Mairiporã. 

De Santa Isabel a Guarulhos o trajeto é de 20 km, o que equivale a seis horas de caminhada entre um desnível de montanhas que vão de 600 a mil metros de altura. A extensão total da Serra atinge 15 mil hectares. 

Por causa de problemas de saúde, em 2004, os médicos indicaram que Rafael fizesse caminhadas. Ele começou a fazer trilhas à noite com grupos de amigos pelas estradas do Jaguari, Reserva Ibirapitanga, Cantagalo e Cafundó. 

“Em 2007 conheci a Serra de Itaberaba e de lá nunca mais quis sair”, conta. Por conhecer diversos percursos Rafael é procurado por agências de turismo especializadas em caminhadas e outros grupos de trilheiros, que o contratam para acompanhá-los nas trilhas do Itaberaba. Ele já acompanhou pessoas que vieram para treinar no Itaberaba para grandes desafios, como percorrer o caminho de Santiago de Compostela, que fica a noroeste da Espanha, a famosa rota de peregrinação da Europa: “As montanhas de Santa Isabel tornam-se o melhor lugar para a preparação de esportistas e peregrinos em grandes eventos”, explica Rafael.

Nos últimos anos este isabelense fez uma série de cursos e capacitações na área de ecoturismo. Na Universidade de São Paulo participou do curso de princípios e técnicas voltado para caminhadas em unidades de conservação, estudou cartografia, para fazer a leitura de mapas e também fez cursos de primeiros socorros ofertados pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha. “Eu acredito que somente através da capacitação podemos oferecer o melhor para os turistas, assim traremos mais oportunidades para a cidade crescer economicamente”, diz 

A Serra de Itaberaba possui um dos mais importantes ecossistemas do estado de São Paulo e suas inúmeras as nascentes que brotam em suas terras e desaguam na bacia Hidrográfica Paraíba do Sul, principal fonte de abastecimento de algumas cidades. 

Rafael espera mais atenção dos governos Municipais e Estadual na preservação da Serra, que além de onças, macacos e outras espécies de animais, apresenta alta diversidade biológica, fauna variada com grande número de espécies endêmicas da Mata Atlântica e várias espécies raras ou ameaçadas de extinção: “Eu vou um dia viver só do ecoturismo, tenho como propósito continuar a incentivar a preservação ambiental e contribuir para o desenvolvimento socioeconômico de Santa Isabel. Nossas matas são ricas e podem atrair mais pessoas para a cidade, que buscam constantemente fazer atividades físicas em áreas naturais”, ressalta.  

As trilhas da Serra de Itaberaba recebem também corridas de motocross e passeios ciclísticos: “Temos um grande potencial em nossas mãos que precisa ser melhor aproveitado e principalmente melhor cuidado”, finaliza.