O mês mais mortal da pandemia

Faltando ainda quatro dias para terminar, março já é considerado o mês com o maior número de mortes registradas pela Covid-19. A realidade nacional chegou com força na região

Saúde Em 26/03/2021 20:31:58

Por Bruno Martins

Em março, mais de um isabelense morreu por dia na cidade em decorrência da Covid-19. Foi o mês mais mortal neste um ano de pandemia. A avalanche que fez o Brasil bater a triste marca de 300 mil óbitos por Covid nesta semana, atingiu em cheio a região. E no mês que ainda não terminou, o número de casos confirmados em Santa Isabel já aumentou 118%.

Só em Santa Isabel 39 pessoas que residiam na cidade, morreram neste mês de março contaminadas pela Covid-19. O número é quase três vezes maior do que foi registrado entre maio e junho do ano passado, períodos estes, considerados como ápice da pandemia. “Estamos vivendo um desfecho mais agressivo da pandemia”, pontua o médico intensivista Dr. Luís Silva.

Se comparada às cidades vizinhas a situação de Santa Isabel é ainda mais delicada. Igaratá registrou em março, apenas duas mortes pela doença e em Arujá foram 31. Com o “boom” nas mortes por Covid e um aumento no número de novos casos confirmados pela doença, Santa Isabel possui hoje a maior taxa de letalidade de 4,5%, em Arujá este número é de 3,2% e de Igaratá é de apenas 0,93%.

De acordo com o médico intensivista, a letalidade depende de dois fatores muito importantes: “Alguns estão atrelados a confiabilidade das notificações: se todos os óbitos foram realmente notificados e diagnosticados corretamente. E o quanto aquela população foi testada, quanto mais testamos menor será o nosso indicador de mortes, por isso, municípios que testam em massa terão um indicador de morte bem menor”, diz Dr. Luís.

Na comparação dos novos casos confirmados de covid-19, de 1º de março até ontem, Santa Isabel registrou 627 casos, no mesmo período em Arujá foram 365 contaminados e em Igaratá, 274. Os números de novos contaminados em Santa Isabel é 118% maior do total registrado em fevereiro, mês em que a cidade havia registrado 288 pessoas infectadas. 

Acompanhando diariamente estes casos ainda assim Dr. Luís, que trabalha na linha de frente do combate a pandemia na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Santa Isabel, se diz chocado com o número altíssimo de contaminados: “Sobre o aumento dos casos, eu acredito que estejam relacionados as mutações e cepas virais por suas agressividades. Os pacientes estão com uma evolução para piora, assustadora e em número cada vez maiores. O vírus parece estar com uma potência maior do que a de um ano atrás”, disse.

Assim como no ano passado, pessoas entre 60 a 79 anos são a maioria dos infectados por Covid, que resultaram em óbitos em Santa Isabel. Em 2020, 47 pessoas nesta faixa etária morreram na cidade e neste ano já foram 34. 

Condemat registra marca histórica 

Nesta semana o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) bateu a triste marca de mais de cinco mil óbitos em um ano de pandemia do Coronavírus. No Consórcio em que Santa Isabel e Arujá fazem parte foram registrados, até o fim da noite de ontem 5.241 mortes. No número de infectados o Condemat já contabiliza, nos dez municípios que compõem o consórcio, um total de 120.104 pessoas.  

Ainda no início da semana o Prefeito Dr. Carlos Chinchilla lamentou o mês mais mortal da pandemia para Santa Isabel, mas ressaltou a importância do trabalho das equipes de saúde: “Apesar dos esforços da prefeitura, dos médicos assistentes, das enfermeiras e todos os envolvidos no combate a pandemia, essa nova cepa veio com força total. Até ontem continuávamos com 100% de ocupação nos leitos de UTI”, disse. 

Por outro, lado de acordo com ele, já não há mais pacientes da cidade esperando por leito definitivo. “A colaboração da cidade em respeitar as restrições tem ajudado muito. Esperamos que o feriado antecipado da Capital não atrapalhe o esforço de nossa cidade até aqui”, conclui.

Até ontem Santa Isabel contabilizava 3.539 casos confirmados e 158 mortes por Covid. Em Arujá são 4.984 casos confirmados e 162 óbitos enquanto em Igaratá são 1.522 casos confirmados e 14 óbitos desde o início da pandemia.