O Atentado

por Roberto Drumond

Crônicas Em 06/09/2018 21:40:50

Érica escreveu com sentimento o texto acima. Ela conseguiu reunir em algumas palavras o sentimento de um Brasil de gente. Gente que não conseguia expressar a dor que sentiu ao ver aquele prédio em chamas, transformando em cinzas as lembranças de quando, adolescente, visitei aquele palácio maravilhoso e, depois, adulto, já profissional, lá estive para entrevistar um antropólogo que, como o Museu, também já se foi.

Na tarde de quinta feira o candidato a presidência da república, Jair Bolsonaro, foi alvo de um atentado em Juiz de Fora (MG). Pouco se sabe a respeito das intenções do agressor, mas não são raros os casos de pessoas transtornadas que atacam apenas para se sentir importante. O fã que matou John Lenon foi um deles, como houve tantos na história da humanidade.

O que me surpreende é que um homem com o discurso de Bolsonaro não estivesse preparado para situações como essa. Talvez a habituabilidade com as aglomerações e o excesso de confiança provocado pela fama o tenha desprevenido, assim como estimulou o agressor.

O Museu Nacional e Bolsonaro  quase se encontraram no mesmo espaço da história brasileira vítimas do mesmo mal que assola a pátria: a nossa falta de cuidado conosco mesmos, em pleno setembro.