O ATENDIMENTO NA SÁUDE

por LUIS CARLOS CORRÊA LEITE

Crônicas Em 12/04/2019 22:04:09

É importante que os gestores na área da saúde estejam atentos às manifestações de usuários, especialmente através das redes sociais. Nesta semana, já em clima de pré-campanha, um político de Santa Isabel denunciava mau atendimento a pacientes na UPA. Outra usuária, cheia de razão, reconheça-se, reclamou da demora no atendimento na mesma unidade, com suspeita de que o médico dormia durante o horário de atendimento. Ainda na última quinta-feiradivulgou-se um vídeo em que um vereador de uma cidade gaúcha invadiu o chamado “conforto” de uma unidade de saúde e acordou o médico, que dormia enquanto pessoas aguardavam atendimento pela madrugada. 

É interessante notar que somente a classe médica tem o privilégio de contar com o chamado “conforto”, que nada mais é do que um quarto em que se pode dormir durante o horário de trabalho. Ridículo, mas existe. Seria bom que a turma do PSL conseguisse acabar com essa aberração....

Dormir durante o chamado “plantão”, ou ausentar-se deste para atender compromissos particulares é, além de grave falta ética – punível pelo órgão de fiscalização -, um ato de improbidade, pois implica em receber recursos públicos de forma fraudulenta, criminosa mesmo. 

Assim, é importante que os usuários do sistema de saúde - aproveitando os modernos meios de comunicação, e facilidade para produzir fotos e filmagens - denunciem este tipo de procedimento por parte dos médicos e outros servidores. A cidadania não se faz com pessoas covardes, que ficam reclamando pelos cantos e redes sociais, mas não têm coragem de assumir e levar adiante as denúncias. 

É preciso que todos entendam que vivemos um novo tempo, numa sociedade em que as pessoas que utilizam os serviços públicos não mais aceitam serem tratadas como pessoas de segunda classe. 

Quem se dirige a um órgão público de atendimento não se socorre de um serviço gratuito. São serviços pagos com dinheiro público, arrecadado através dos impostos que são pagos por todos os cidadãos e cidadãs.