Novo pedágio para a Dutra

Uma audiência pública realizada na última quinta-feira em Guarulhos, mostrou aos representantes de empresas e municípios situados no entorno da Dutra (BR 116), mudanças no sistema de pedágio que vai afetar profundamente a vida de todas as pessoas da região.

Cidades Em 08/02/2020 01:04:15

Uma audiência pública realizada na última quinta-feira em Guarulhos, mostrou aos representantes de empresas e municípios situados no entorno da Dutra (BR 116), mudanças no sistema de pedágio que vai afetar profundamente a vida de todas as pessoas da região.

Foi a última audiência pública para tratar desse assunto, organizada pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) que já planeja as exigências que serão feitas a concessionárias que ganhar, tão logo seja realizada a nova licitação, o direito de explorar a principal rodovia do país.

Conduzida pelo gerente da ANTT Marcelo Fonseca, a audiência reuniu cerca de 180 pessoas no salão de reuniões do CIESP em Guarulhos entre prefeitos, vereadores e empresários. Entre os prefeitos, José Luis Monteiro, de Arujá e secretários e vereadores. O empresário Dario Arantes defendeu espontaneamente os interesses de Santa Isabel. Na exposição foi dito que a nova concessionária terá de investir cerca de 31 bilhões de reais em atenção às reivindicações registradas nas sete audiências que destacaram especialmente a construção de vias locais para dar acesso a cidades e empresas.

A principal informação, contudo, foi a mudança no sistema de cobrança de pedágio que passará a ser por trecho. Logo que o veículo acessar a rodovia, um scanner grava o número da placa e registra a quilometragem até o momento em que o veículo deixar a rodovia. A cobrança será feita através do sistema bancário e o usuário da rodovia que não quitar o seu débito ficará impedido de se utilizar dela em outras ocasiões. O valor a ser cobrado está sendo estimado em R$0,15 por quilometro utilizado. Uma viagem de ida e volta a entre Santa Isabel e São Paulo terá o custo aproximado de R$18,00.

Em sua fala Dario destacou que o desenvolvimento de Santa Isabel está travado em decorrência da dificuldade de acesso ao lado da rodovia onde é permitida a instalação de indústrias e outras atividades, fazendo registrar a necessidade de implantação de uma via paralela entre Arujá e Guararema.