No Pé do Ouvido

por Redação

Crônicas Em 26/06/2020 22:25:49

IGARATÁ

SUSTO – Os vereadores da oposição a atual administração de Igaratá se surpreenderam essa semana quando viram o projeto de lei do Executivo propondo uma gratificação de 30% calculado sobre o valor do salário mínimo, para os funcionários da saúde que atuam no combate ao covid-19.

SUSTO 2 – O vereador Coquinho, presidente da Casa, até resmungou alguma coisa sugerindo que a ideia saiu da oposição, contudo o vereador Benjamim de Lima cuidou de colocar os ´pingos nos ís. A oposição queria 40% para todos os funcionários considerando o benefício como se a covid-19 fosse considerada “insalubridade”.

SUSTO 3 – Essa classificação poderia ensejar outros tipos de problemas para a Prefeitura, justificando até mesmo eventuais ações trabalhistas. A gratificação pela atuação com assiduidade constitui um prêmio em decorrência do mérito e não do risco de contrair da doença.

PREMIO – Esse prêmio só foi possível porque alguns vereadores se empenharam em obter recursos extras para o município. Até mesmo quem não é vereador conseguiu injeção de dinheiro para a saúde em decorrência da pandemia, demonstrando solidariedade para com os igarataenses.

PRÊMIO 2 – Entre os vereadores que conseguiram recursos figuram Jair Rufino; Tiago Prianti; Tonhão e Benjamim, todos da situação que buscaram emendas de deputados de seus partidos. Contribuíram os deputados Eduardo Cury; Marco Bertaiolli; Reinaldo Algu e Estevão Galvão. E outros deputados trazidos por cidadãos dedicados: deputada Letícia Aguiar a convite de Gabriel Coroinha e Roberto de Lucena.  

SELETIVO – Igaratá recebeu também essa semana recursos para a compra de um caminhão para ser utilizado na coleta seletiva de resíduos domésticos. É o fortalecimento de uma campanha que foi desencadeada no primeiro ano da atual administração. Chegaram R$ 95.000,00 para a compra do veículo.

CONVENIO – Além do convenio com a secretaria de Esportes, Lazer e Juventude assinado na quarta-feira passada para a construção de uma quadra esportiva com grama artificial, o prefeito Celso Palau assinou na secretaria de Turismo a ordem de serviços para reurbanização de cinco praças na cidade. As obras devem começar nas próximas semanas.

SANTA ISABEL

ADIADO – Em sessão extraordinária realizada na última quinta-feira a Câmara de Santa Isabel adiou a votação da proposta do vereador Paulinho Investigador criando protocolos para controle das chácaras de locação e realização de eventos. Depois de um debate nos bastidores, a pedido da vereadora Angela Sanches, o projeto foi adiado.

ADIADO 2 – Será votado somente em novembro, depois de todas as partes interessadas na regulamentação forem ouvidas, inclusive a população e o Comtur (Conselho Municipal de Turismo e o Comseg (Conselho Municipal de Segurança). Os vereadores acharam que, pelos termos propostos a Prefeitura pode sair prejudicada.

ADIADO 3 – O vereador Márcio Pinho observou que o simples fato da Prefeitura ter de expedir alvará para a realização de eventos nesses locais dá a ela a responsabilidade sobre as instalações. Na opinião de Márcio a proposta foi pensada apenas tendo em vista as chácaras utilizadas para grandes eventos, estabelecendo parâmetros para volume de som quando, em sua opinião, outras conceituações são necessárias.

ADIADO 4 – O presidente da Casa, vereador Luizão Arquiteto observou que para colocar em prática a proposta de regulamentar o uso das chácaras, muitas ações ainda serão necessárias, especialmente formalizar um cadastro de chácaras de lazer que são alugadas, realizar audiência pública dando oportunidade para os proprietários se manifestar e especialmente, avaliar as responsabilidades que a prefeitura assume ao expedir um alvará dessa natureza.

ADIADO 5 – A preocupação dos vereadores em fazer um projeto de lei versando sobre a locação de chácaras e sítios para eventos através de consulta pública e audiências com especialistas levou o presidente, Luizão Arquiteto a observar que, se tivessem desde o início das atividades legislativas agido com tanto cuidado, a Câmara teria errado menos: “Ouvir o povo envolvido é fundamental”, observou ele.

DESPERDÍCIO – O vereador Ti foi o único que votou contra uma proposta do executivo isabelense que pedia uma verba para a conclusão da UBS (Unidade Básica de Saúde) do Jardim das Acácias. No entender o Vereador, trata-se de confissão de ineficiência da Prefeitura que não fiscalizou adequadamente as obras realizadas pela empresa Serracon.

DESPERDÍCIO 2 – Para o vereador Ti a Prefeitura já pagou pela obra que ficou abandonada pela empresa vencedora da licitação e que resultou em diversas denúncias e acusações de ambas as partes. Para ele ao investir mais recursos no prédio sem recorrer à Justiça é admitir a incompetência para fazer o que deveria ter sido feito de uma forma correta.

ABANDONO – Para os demais vereadores, deixar a obra abandonada é um crime especialmente nesse momento em que o município necessita tanto de espaços dedicados à saúde. Mesmo sendo obrigada a refazer toda a parte de esgoto e substituição de piso, concluir a obra vale à pena, buscando paralelamente definições na Justiça.

PEGOU MAU – O esquecimento da prefeita Fábia Porto com relação ao estado de saúde do vice, Dr. Carlos Chinchila. Ao retornar depois para corrigir a omissão ficou pior ainda, já que uma expressiva parte da população já havia expressado o seu desagrado com os acontecimentos.