No Pé do Ouvido

por Redação

Crônicas Em 12/04/2019 22:37:13

ARUJÁ

INFELIZ – É no mínimo infeliz a manifestação de um vereador de Arujá que, em discurso amarrotado, deu de classificar todos os funcionários públicos do município como preguiçosos e enrolados. Quantos projetos este digníssimo aprovou em mais de um mandato? Quais conquistas e soluções trouxe para a cidade? Vale refletir! Avaliando bem, talvez, dessa generalização grosseira o povo pode encontrar quem é realmente preguiçoso e enrolado!

LORDE – Foi bonita a homenagem do vereador Luís Fernando para a colega Ana Poli, idealizadora e organizadora da 1ª Semana de Conscientização de Autismo de Arujá. Reverenciada por sair da demagogia e praticar políticas públicas de integração social.

LORDE 2 – Ainda nesta semana, o vereador Luiz Fernando entregou oficialmente ao prefeito José Luiz Monteiro uma proposta para agilizar a execução de serviços de manutenção nas escolas. A ideia consiste em transferir recursos financeiros às diretoras para realização de pequenos reparos, compra de materiais e contratação de pessoal.

LORDE 3 – Vereador não serve só para criticar, pode apontar soluções. A proposta de Luiz Fernando recebeu elogios do próprio Prefeito, que recebeu a sugestão em forma de anteprojeto aprovado pela Câmara Municipal. José Luiz encaminhou o projeto para análise jurídica.

ADIADA – A audiência pública de prestação de contas da educação arujaense foi adiada. Motivo: O encontro foi agendado no mesmo dia e horário da Conferência Municipal de Saúde. A próxima deverá ser marcada na Casa de Leis que, no dia 04/04, autorizou a educação a realizar a audiência na prefeitura e no dia 09/04, depois de publicada a audiência, voltou atrás e disse que a prestação de contas deve ser feita no legislativo.

ISO 9001 – Apesar do cargo de vice-prefeito ser de expectativa, em Arujá, o vice Márcio Oliveira possui um gabinete especial com aparentemente quatro assessores que ficam num entra e sai sem fim. A pergunta que não quer calar é, quem paga a conta para manter esse gabinete?

IGARATÁ

ÚLTIMA HORA – No apagar das luzes do mandato de 2014 a 2018 os deputados federais Eduardo Cury e Sérgio Reis ainda se lembraram de Igaratá. Essa semana chegou a notificação da liberação dos recursos: Cury destinou R$150.000,00 e Sérgio Reis, R$300.000,00 confirmando a sua história de maior destinador de emendas para o município. Ambos recursos foram destinados para a saúde.

MULTAS – Entre o dia 11 de janeiro e 26 de março a Polícia Militar de Igaratá lavrou 130 multas por infrações de trânsito. Pelo menos 30% delas atingiram veículos estacionados ou que transitavam pela rua Irineu Prianti Chaves, exatamente a rua da sede do destacamento local.

PRECATÓRIO – A Prefeitura de Igaratá escapou de ser condenada a pagar no próximo ano mais um precatório. Dessa vez de quase nove milhões de reais referente a uma multa não paga em 2001 pela não realização de concurso público para a contratação de servidores. A Justiça acatou os argumentos do município e suspendeu a emissão que seria para pagamento até o final de 2020. 

PRECATÓRIO 2 – A suspensão da cobrança foi substituída pelo compromisso de investir o mesmo valor do precatório em obras de interesse social do município. No próximo dia 24 de abril haverá uma audiência para definição das obras que terão de ser realizadas com recursos próprios e seguindo o cronograma estabelecido pela Justiça.

PRECATÓRIO 3 - O prefeito Palau comemorou que, pelo menos nesse caso, o dinheiro vai ficar no município ao invés de cair na mão de particulares que certamente vão investir em outros lugares. Se todos os precatórios devidos pela Prefeitura de Igaratá pudessem ser cumpridos dessa forma, seria excelente, a administração teria como melhorar a vida da população. A dívida de Igaratá ultrapassa a 40 milhões. 

SANTA ISABEL

ERRAMOS – Diferente do que foi publicado na última edição, o subsídio dos vereadores de Santa Isabel não foi corrigido em cinco por cento. Na realidade foi aplicado apenas o índice da inflação 3,75% fixando o recebimento em R$5.980,12. O benefício do aumento de 1,25 mais o índice inflacionário valeu apenas para o salário dos funcionários do legislativo.

PROCESSANTE – Bastou a insinuação de que a Comissão Processante, sob a presidência do vereador Márcio Pinho, vai absolver a prefeita Fábia Porto da denúncia de recebimento de propina da PEM, para que ele fosse à Tribuna garantir que diante dos últimos acontecimentos está compondo o “Centrão”, deixando a “base” na Câmara isabelense.

PROCESSANTE 2 – Ele garantiu que está com a consciência limpa porque “até dias atrás era da base, mas sempre tomou cuidado para não se envolver em promiscuidades como outros se envolviam, em reuniões com portas fechadas com a antiga presidência e com empresários onde se dizia que Marcio Pinho não entra aqui!”

PROCESSANTE 3 – E continuou: “Tira a processante de sua fala, porque estamos fazendo o nosso trabalho. Não foi achado o empresário para ser ouvido, pedi ao jurídico para indicar a condução coercitiva. Existem muitas coisas aí para atrás, rastros! Hoje sou oposição e vou votar contra o financiamento, não posso aceitar sua postura que incomoda até mesmo os vereadores. Dentro dessa casa não tem santo e vossa excelência sabe bem disso! Eu tenho a sua capivara!”, concluiu.

EXCLUÍDO – O vereador Márcio Pinho foi excluído do grupo de WhatsApp dos vereadores da base da prefeita de Santa Isabel. Sequer foi informado dos motivos. Ele acredita que tenha sido pelo fato de ter votado contra o empréstimo de sete milhões do programa “Avançar Cidades”.

EXCLUÍDO 2 – Para ele, um município que está com um rombo em suas contas não deve contrair empréstimo com juros que vão dobrar o valor da dívida, mesmo que em 20 ou 40 anos. E destaca ainda que o asfalto a ser colocado nas 25 ruas não terá a durabilidade da dívida: - Em menos de dez anos esse asfalto já estará comprometido! Garante e acrescenta que não votou contra o projeto de pavimentação, mas contra a dívida.

EXCLUÍDO 3 – Márcio lembra a seus colegas vereadores que votou a favor da liberação dos 10% do orçamento que a Prefeita reivindicou para usar sem ter de pedir permissão para o Legislativo. Em sua opinião, a sua exclusão do grupo foi mais uma manobra infeliz do grupo de Prefeita, mas ele agradece ter sido remetido para fora!

INVESTIGAÇÃO – A pedido do vereador Paulinho Investigador formou-se na Câmara de Santa Isabel uma Comissão Parlamentar de Inquérito destinada a apurar os eventuais crimes denunciados pela comissão de sindicância da Prefeitura que apurou a liberação de licenças ambientais pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente entre 2017 e 2018.

INVESTIGAÇÃO 2 – O pedido de CPI não menciona nenhum nome, mas o vereador Reinaldo foi à Tribuna para dizer que é mais uma ação de perseguição à sua pessoa que, durante o período a ser investigado, estava no cargo de Secretário de Meio Ambiente. Disse que nada será encontrado que o incrimine e que servirá como atestado de bons antecedentes.

INVESTIGAÇÃO 3 – Reinaldo alertou para o risco de as empresas beneficiadas com o alvará expedido durante a sua gestão na secretaria, desistirem de Santa Isabel causando desemprego em massa já que muitos empregos gerados no município nos últimos tempos derivam desses licenciamentos.

INQUÉRITO – Enquanto prossegue no Legislativo a processante destinada a apurar o pagamento de propina pela empresa PEM, o processo na Justiça determinou o bloqueio das contas de diversos integrantes do governo do Padre Gabriel Bina. Até que se chegue a uma conclusão, todos estão impedidos de vender qualquer bem ou de gastar o dinheiro depositado em bancos.

PLANO – Nesta semana recebemos um questionamento de um cidadão isabelense que vale a reflexão: “Como um funcionário ocupando o cargo de atendente da secretaria de esportes pode receber um salário maior que o da Chefe de Gabinete?”. Solicitamos da assessoria de imprensa a descrição das obrigações de cada cargo que, se tivéssemos recebido o retorno, evidenciaria a discrepância.

PLANO 2 – Está tudo dentro da Lei. As incorporações de quem já ocupou cargo acima do que é concursado são garantidas por lei. O problema é quando a pessoa retorna ao cargo de origem levando consigo um salário alto para uma menor monta de responsabilidades. Cria-se uma relação injusta de remuneração. Um Plano de Carreira talvez corrigisse este problema, será que um dia ele sai do mundo das ideias? Será?