No Pé do Ouvido

por Redação

Crônicas Em 15/02/2019 22:24:38

ARUJÁ

MP - Indignados com a situação das escolas públicas de Arujá, os vereadores criticaram o Ministério Público e ao Poder Judiciário durante a Sessão Ordinária de 13/2. Acusam os órgãos de inércia e morosidade diante dos sérios problemas de infraestrutura e manutenção encontrados nas unidades, que prejudicam dezenas de alunos há anos.

MP 2 – Em 2013 e em 2018 o legislativo entregou um diagnóstico elaborado pela Comissão de Educação com todos os problemas de infraestrutura. Mas na prática, ainda que provocada, a Justiça não reage. Por outro lado, o MP de Arujá informa que encaminhou ofícios e diligências cobrando da prefeitura quais medidas adotou para solucionar os problemas.

IGARATÁ

FALHA - Em uma blitz realizada na entrada de Igaratá alguns veículos foram vistoriados, entre eles dois ônibus escolares da prefeitura ficaram retidos e foram levados para Jacareí: um porque o pneu estava com o TWI fora da especificação (pneu gasto) e o outro porque um numeral da placa estava ligeiramente apagado. O prefeito Palau reconheceu a falha da manutenção e determinou que toda a documentação dos veículos oficiais e dos motoristas sejam revistas visando evitar a ocorrência de novos impasses.

IRRESPONSABILIDADE – A blitz da PM ocorreu em horário e em local capaz de interferir na saída das crianças de duas escolas municipais. Carros de professores e de pais foram parados para vistoria e, sem o ônibus do transporte escolar muitas crianças só chegaram em casa depois das oito horas da noite.Alguns estudantes tiveram de caminhar pelo acostamento por mais de um quilometro em uma área de risco para retornar a seus lares e algumas chegaram em casa assustadas.

IRRESPONSABILIDADE 2 – Alertados sobre isso os policiais não consideraram o que prevê o Código Brasileiro de Transito que permite a liberação do veículo com apreensão de documentos e posterior apresentação para vistoria. O não atendimento a essa possibilidade levanta a suspeita de que a ação foi motivada por fatores meramente políticos, na intenção de prejudicar a administração pública.

ESPERANÇA – Palau espera que a mesma eficiência apresentada na fiscalização dos veículos seja também aplicada na segurança da cidade. Tráfico de drogas, furtos e roubos continuam acontecendo em todo o município sem que a Polícia Militar atue a contento. O Prefeito relembra que a cidade não tem banco em decorrência da falta de segurança e o caminhão mais novo da Prefeitura foi roubado a mão armada, em plena luz do dia, a poucos metros do destacamento. A segurança é a principal missão da Polícia.

PROVIDÊNCIAS – Entre as medidas decorrentes do impasse gerado com a apreensão dos ônibus, Palau solicitou ao secretário de segurança para reativar o COMSEG (Conselho Municipal de Segurança) para que o diálogo dos órgãos de segurança com a sociedade seja mais efetivo e proativo. O atual comando da PM local deixou o Conselho deliberadamente inativo por falta de interesse. 

REDE SOCIAL - O vereador Gilmar do Mercado postou em sua rede social uma sua manifestação na tribuna da Câmara de Igaratá quando, em tom de desafio afirmou que a Prefeitura estava jogando dinheiro fora ao pagar uma dívida trabalhista a um médico que atuou durante pouco mais de um ano no município. Concluindo a sua fala, desrespeitosamente, Gilmar chamou o prefeito Celso Palau de incompetente por não reverter a sentença.

REDE SOCIAL 2 - Sem se fazer de rogado, Palau gravou e postou em sua rede social uma resposta onde narra todo o processo levado a efeito até a sentença que condenou a Prefeitura ao pagamento, em 2020 de quase cinco milhões de reais e deixando em discussão na justiça outro tanto pelas mesmas razões.

REDE SOCIAL 3 - Historiando a dívida Palau provou que a dívida foi resultado, na realidade, da administração do ex-prefeito Elzo de Souza, um dos donos do mercado onde Gilmar trabalha. E afirmou que na qualidade de vereador Gilmar deveria ter fiscalizado o momento em que a administração errou e não agora em que está obrigada a cumprir uma sentença à qual não cabe mais recurso. O caso começou e acabou no período em que Elzo foi prefeito de Igaratá com o apoio cego e incompetente do vereador Gilmar.

REPERCUSSÃO –O vídeo postado na segunda-feira passada pelo prefeito Palau alcançou 6.500 visualizações, 336 curtidas, 130 comentários e 216 compartilhamentos. Entre as ponderações de Palau a informação de que os 13 milhões que a Prefeitura terá de pagar, hipoteticamente poderiam ser utilizados para a compra de 100 ambulâncias ou a construção de pelo menos 300 casas populares, encerrando o problema habitacional do município.

SANTA ISABEL 

FURO NÁGUA – A Prefeitura, através da Secretaria da Cultura, divulgou que haveria ingressos grátis para crianças no circo que ocupa parte do terminal rodoviário da cidade. Ao saber da notícia centenas de pessoas se dirigiram ao local na hora divulgada e descobriram que os ingressos haviam desaparecido na Secretaria da Promoção Social. Diante da revolta da população a direção do Circo decidiu franquear as portas e, para a surpresa do povo, sob as lonas estavam cadeiras vazias.

SEM FIM – O vereador Reinaldo usou a Tribuna na Câmara de Santa Isabel para dar continuidade à sua história começada na sessão anterior, quando nenhum dos demais vereadores cedeu o seu tempo para que ele concluísse. O capítulo que faltava era o comentário a respeito da reportagem publicada na semana anterior por este Jornal.

SEM FIM 2 – Reinaldo reclamou que em nenhum momento foi procurado pela reportagem para dar a sua versão dos fatos, sendo surpreendido pela manchete: “Vereador produz provas contra si mesmo”. E acrescentou que também o vereador Gabriel, mencionado na mesma reportagem não foi consultado sobre a frase que teria dito.

RESPOSTA – Presente no público que pacientemente ouvia as lamentações de Reinaldo o editor jornalista Roberto Drumond manteve-se calado, pois sabe que o cidadão no plenário do legislativo não tem direito a se manifestar. Depois consultado por outros vereadores limitou-se a dizer que, como diz a própria reportagem, toda a documentação foi produzida pelo próprio vereador Reinaldo e postada em sua página nas redes sociais.

RESPOSTA 2 – Quanto à fala do vereador Gabriel citada na reportagem, Roberto afirmou que não havia necessidade de consultá-lo, pois há inúmeras testemunhas que afirmaram a advertência feita pelo vereador Gabriel: “Não é assim que se faz!”, aliás uma recomendação de bom senso!

INSATISFEITO – Reinaldo não se limitou a criticar a reportagem. Afirmou em sua fala que o jornal OUVIDOR mentiu e que foi pago para denegri-lo. Diante dessa afirmativa, Roberto foi mais explicito: disse que Reinaldo terá de comprovar essa afirmativa ou se retratar e foi taxativo: “vamos buscar na Justiça a reparação dessa difamação”.

COBRANÇA – O vereador Paulinho Investigador usou a Tribuna para lembrar ao colega que se o jornal tem de falar a verdade, os vereadores também. E lembrou que minutos antes Reinaldo havia dito que a licitação para definir a empresa de manutenção da iluminação pública do município foi “cancelada” pelo Tribunal de Contas. – Na verdade, afirmou Paulinho, a licitação foi suspensa e acrescentou: “Não se cancela uma licitação desse porte. Foi suspensa porque uma empresa que participou do processo entrou com recurso. Isso é normal!

MUDAS – Reinaldo disse que a reportagem do Jornal telefonou para o padre Jaime para levantar as informações sobre o meio ambiente, perguntando quem teria doado as mudas para a compensação ambiental que a Paróquia foi condenada a fazer. Acrescentou que o jornal foi maldoso, não consultou o Ibirapitanga que foi quem doou as mudas.

IMPRENSA LIVRE – O vereador Márcio Pinho também usou a Tribuna para criticar Reinaldo. Disse que a imprensa é um dos pilares da democracia e como pessoas publicas os vereadores estão a mercê da exposição publica: “isso não nos dá direito de atingir  pessoas com acusações que eu acho gravíssima, como a de que o jornal esta sendo pago para publicar qualquer coisa. Dá mesma maneira que o público presente não dirige a palavra a nós, como vereadores  temos também limites e precisamos nos atentar para não cometer aqui nada que contrarie os valores democráticos.

GUARITA – Uma “super” guarita está sendo construída na Câmara isabelense. Com licitação realizada em 16/12/2018, a obra já tem a placa sinalizando o custo: R$90 mil, verba necessária para a construção de uma casa de quatro cômodos. Quanto de bloco vai para fechar uma guarita? 

COBRANÇA 2 – Paulinho continuou afirmando que, enquanto secretário de meio ambiente, Reinaldo teria dito que fez um projeto para reciclagem de entulho e que, inclusive, teria um empresário disposto a investir na usina especializada, mas que a Prefeitura não se interessou abandonando o processo. Paulinho disse que consultando a Dr. Valesca, da assessoria jurídica do executivo, verificou que a verdade é diferente e, exibindo um pacote de documentos, narrou que Reinaldo pediu doação de um espaço publico para se montar o negócio, mas quando soube que deveria haver uma licitação para a concessão do imóvel por 30 anos, arquivou o processo.

MUDAS 2 – O Jornal, de fato consultou o Padre Jaime e publicou a sua resposta. O pároco da Igreja de Nossa Senhora da Aparecida disse que quem doou as mudas “foi o Reinaldo, que ajudou muito a Igreja”, conforme publicado na edição 1211. Reinaldo disse ainda que não encontrou na Delegacia nenhum Boletim de Ocorrência registrando o que o Jornal publicou como “Crime do Viveiro”. Quanto a isso, Roberto esclareceu sugerindo que Reinaldo aguarde o andamento da “notícia crime”: - As vezes a notícia sai antes da hora!

FISCAL – Agindo corretamente como Vereador, Ti Nagate usou a Tribuna para relatar que diversas escolas estão com problemas na merenda escolar que vão desde uniforme das merendeiras até falhas em equipamentos como geladeira, fogão e ventilação. Citando a escola João José de Almeida Filho disse que um cano de cobre de gás é sustentado por um pedaço de madeira.