No Pé do Ouvido

por Redação

Crônicas Em 08/02/2019 22:07:11

ARUJÁ

APAGÃO – O Vereador de Arujá, Rogério da Padaria, reclamou esta semana que os cidadãos arujaenses pagam a taxa de iluminação pública para viver no escuro. Enquanto isso, a Prefeitura ele calcula que soma mais de R$3 milhões de taxa arrecadada e não utilizada. “Se não vai assumir, que pare de cobrar”, disse Rogério.

COCÔ – Rogério contou que esteve na UBS do Mirante em Arujá na companhia do Prefeito José Luiz Monteiro, no dia 06/02. Chegando lá, ambos deram de cara com uma unidade de saúde cercada de cocô de cavalo e água parada. "Se a Vigilância vai na minha padaria e encontra fezes de cavalo no chão, manda fechar o comércio na mesma hora. Por que um prédio de atendimento em saúde pode servir de pasto e banheiro para animais?", questionou na Tribuna. Rogério alertou ainda para o foco de dengue encontrado na rede pluvial da unidade serve de criadouros para o mosquito transmissor de dengue, chikungunya e zica.

SAÚDE – Em nota, a Secretaria de Saúde de Arujá disse que já foram realizados reparos, o que incluí a caixa de coleta de águas fluviais e o alambrado. Sobre os cavalos, a pasta avalia um meio de coibir a entrada de animais tanto na UBS, quanto na Praça da Juventude.

EDUCA-LAGO – As unidades de ensino de Arujá iniciaram o ano letivo debaixo de chuva e uma enxurrada de infiltrações. O vereador Luiz Fernando, que ajudou na elaboração de um dossiê detalhado dos problemas de infraestrutura das unidades de ensino, chama o problema de incompetência de gestão.

MENTIRA – Rogério destacou que no ano passado a educação disse que não tinha dinheiro e podia comprometer todo o orçamento do município. Mas agora, por meio de concurso e outros vai contratar profissionais para suprir suas carências. “Ou não sabem fazer as contas, ou vivem no país das maravilhas”, disse.

MP – Os vereadores questionaram em tribuna a inoperância do Ministério Público na defesa das crianças de Arujá. O dossiê feito pela Câmara no ano passado já é o segundo realizado pelo legislativo. Mas os problemas de infraestrutura se arrastam, são pequenos reparos que crescem e viram grandes infiltrações. 

IGARATÁ

MIT – De uma reunião realizada ontem na secretaria estadual de turismo entre a secretaria de Desenvolvimento Regional e as associações das Prefeituras de Cidades Estâncias do Estado de São Paulo (APREMESP) e dos Municípios de Interesse Turístico do Estado de São Paulo (AMITESP) chegou à boa notícia: o estado vai pagar o convênio celebrado no ano passado, para isso, basta as prefeituras reapresentarem os projetos com ofício solicitando a inclusão do projeto no orçamento de 2019, as certidões atualizadas e o cronograma de obras. Palau estima que o atraso da obra deve ser de três a quatro meses. 

SANTA ISABEL

VISITA - A primeira sessão legislativa isabelense na terça-feira teve duas destacadas presenças: a primeira foi a da prefeita Fábia Porto que manteve a tradição de dar boas vindas aos vereadores na arrancada do ano legislativo. Sua fala demorou mais de uma hora e fez com que alguns vereadores criticassem o alongamento dos trabalhos: foram mais de cinco horas de discussão. 

VISITA 2 - O vereador Ademar queria dar por encerrada a reunião após mais de duas horas e meia, justificando que o regimento interno não permite uma sessão tão demorada, mas o vereador Reinaldo se opôs dizendo que foram dois meses de férias do Legislativo e que o discurso da Prefeita teria durado quase de uma hora, impedindo o andamento dos trabalhos.

 VISITA 3 - Reinaldo levou bronca por afirmar que recesso parlamentar é férias. –Todos nós trabalhamos nesse período, afirmou o bronzeado vereador Paulinho Investigador. Segundo ele, a demora na condução dos trabalhos na Câmara em parte foi ocasionada pelas demandas acumuladas. No total foram 20 requerimentos e 49 indicações e o tradicionais "apartes" e trocas de "alfinetadas" entre os Vereadores, que tornou a sessão ainda mais enfadonha.

VISITA 4 – A segunda visita foi um tanto incômoda. Saído não se sabe de onde um camundongo passeou entre as pernas dos vereadores. Pálidas, as vereadoras mantiveram-se caladas apenas com as pernas elevadas do chão. O vereador Marcio Pinho, entretanto, foi mais veemente: correu para a parte mais alta do plenário e, ao perceber que as mulheres mantinham-se estáticas, disfarçou e foi conversar com o Ti. Mais tarde justificou bem humorado: - Se elefante que é grande e forte tem medo, porque eu deveria ser valente?

BOI DE PIRANHA – A publicação de que a Comissão Processante vai arquivar a denúncia feita pela CPI que investigou a compra da casa da prefeita Fábia Porto, pegou mal no legislativo isabelense. O vereador Márcio Pinho, presidente da CP, matou a charada e disse aos demais membros da comissão (Edson Oh Glória! e Negavam) que os três foram colocados como bois de piranha pelos demais vereadores.

BOI DE PIRANHA 2 – Se condenarem a Prefeita serão eles os autores da maldade, se a absolverem serão enxovalhados por parte da população. Ele lembrou aos colegas que a missão é dar um parecer, mas que a condenação ou absolvição deverá vir do plenário. E acrescentou que muitos dos vereadores que estão em suas cadeiras atualmente estarão impedidos de votar e serão substituídos por seus suplentes. Assim quem sofrerá as conseqüências serão os três.

KAMIKAZE – O vereador Reinaldo Nunes está agindo como um kamikaze. Nessa semana detonou o médico Dr. Orlando Pinheiro com acusações que jamais conseguirá provar e prometeu que sua arremetida continuará essa semana atacando, inclusive esse jornal. É bom lembrar ao vereador que a imunidade parlamentar é restrita às manifestações críticas a atos de interesse público. 

ÉTICA – O vereador Paulinho Investigador propôs desde o início de 2017 a retomada do Código de Ética do Legislativo. A norma foi suspensa pelo Quebra Portas, mas agora volta a ser imprescindível para o bom andamento do trabalho da Casa de Leis. O código deve ajudar os vereadores a entender os limites de sua atuação, o básico: direitos e deveres. 

CAMICASE – Um conhecido empresário isabelense, dono do jornal oficial da Prefeitura, anda exibindo em seu celular um áudio em que uma voz feminina o alerta para o fato de um vereador que deverá ser preso, em breve, por conta de uma casa que esta construindo. A voz afirma ainda que a Promotoria já está com todos os documentos em mãos.

PEDIATRA - A iniciativa de requerer informações sobre a possibilidade de contratar um plantonista pediatra na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) feito pela vereadora Bruna, é muito oportuna. Inoportuna foi a explanação do ex-secretário de saúde e vereador Clebão do Posto que só apontou as dificuldades em ter a verba municipal para implantação do atendimento. Parece que está no saudosismo, relembrando sua passagem pela secretaria de Saúde.

LOTEAMENTOS – O futuro é a preocupação do vereador Paulinho Investigador. Na última semana usou a tribuna para advertir ao secretário de planejamento e meio ambiente, Marquinho Pelikan que a demanda futura provocada pelos loteamentos clandestinos que proliferam na zona rural vai levar a administração à falência. - A Prefeitura não consegue manter a infraestrutura básica na área urbana, como vai atender a zona rural?

LOTEAMENTO 2 - Falta fiscalização do que acontece na área rural, dos serviços prestados pelas concessionárias Elektro, Sabesp, de transportes e de limpeza. - Se o município exercer a fiscalização através de suas Secretarias e pelo visto isso não acontece, ficaria mais difícil inventar loteamentos na área rural, diz ele. Paulinho lembrou que as áreas rurais estão sendo degradadas com entulho e lixo e que, futuramente, loteamentos consolidados terão custos altos aos cofres públicos.

INSERVÍVEIS – Os vereadores Luizão Arquiteto e Paulinho Investigador se uniram na proposta da Prefeitura comprar caçambas e triturador de entulho com a finalidade de reutilizar o material que, muitas vezes, por falta de opção de descarte, acaba virando entulho poluindo o meio ambiente. Ambos pediram à Prefeita informações sobre a possibilidade de o município adquirir os equipamentos para aproveitamento do entulho nas estradas rurais. 

DEBOCHE - Quando o assunto é Saúde no município, quem ousa a questionar corre o sério risco de ser massacrado em Tribuna. Foi o que aconteceu com o vereador Zé da Mula que solicitou cópia dos agendamentos de todos os exames clínicos realizados de outubro de 2018 até a presente data, e o valor total repassado à Santa Casa pelo referido serviço. Teve Vereador que sugeriu que ele não saberia qual a diferença entre exame clinico e laboratorial.

PALHAÇADA – Os feirantes tiveram uma surpresa na madrugada da última terça-feira. Ao chegar ao local do trabalho constataram que o espaço reservado para montar suas barracas havia sido ocupado pelas instalações de um circo. Sem ao menos serem avisados, aos feirantes sobrou a alternativa de se instalarem onde encontravam espaço. Virou uma bagunça de rodoviária, ponto de ônibus e feira livre. 

PALHAÇADA 2 – O circo foi autorizado pelo secretário de turismo que aparentemente quer que o dinheiro dos isabelenses mude de endereço. No momento em que os feirantes chegaram, nem os agentes de trânsito estavam de plantão orientando quem passava pelo local. Segundo informações, ninguém sabia do circo, nenhuma das outras secretarias foi notificada e chamada a contribuir.

MUDO – O circo diz que gerou 40 empregos diretos e indiretos, mas que os hotéis da cidade vão ficar lotados com essa atração no município. O Jornal Ouvidor encaminhou uma série de questões ao secretário de turismo, tanto em relação a bagunça na feira e no terminal de ônibus, quanto a arrecadação de impostos. Mas até o fechamento desta edição, o mesmo não retornou qualquer informação a esta reportagem. Quanta transparência!