No Pé do Ouvido

por Redação

Crônicas Em 25/01/2019 18:47:18

IGARATÁ 

SABOTAGEM – O registro da entrada de água da Unidade Mista de Saúde foi fechado provocando o esvaziamento total do reservatório. Na manhã de sexta-feira não havia uma gota d’água sequer no Pronto Atendimento nem no Ambulatório. E pior: entrou ar na tubulação. Como a rede de entrada é menor do que a que atende à demanda da Unidade, foi preciso a Prefeitura adquirir um caminhão com 20 mil litros de água para abastecer o sistema. A sabotagem provocou um vazamento de recursos não previstos no orçamento.

PAPA DEFUNTO – Desgraça de uns, felicidade de outros. O vereador Coquinho comemorou nas redes sociais o corte de verbas do MIT (Município de Interesse Turístico) como se fosse um castigo para a administração de Igaratá. Não explicou que a ação do governador Dória atingiu mais de cem municípios, nem o motivo que o levou a tomar essa atitude. E depois diz que o seu trabalho é defender os interesses de Igaratá.

MIT – Na reunião do Conselho Municipal de Turismo de Igaratá realizada essa semana, a atitude do vereador foi condenada e a atitude do Governador explicada. Haverá revisão de todos os convênios assinados pelo então governador Márcio França, revalidando os que estiverem de acordo com os objetivos do MIT, como é o caso de Igaratá. Poderá demorar um pouco mais, mas o dinheiro virá.

MIT 2 – Na mesma reunião os conselheiros, sob a presidência do turismólogo Thiago Lima, defenderam o carnaval nas ruas centrais da cidade e o projeto de revitalização de todas as praças com o recurso do MIT de 2019. Esse é o jeito certo de contribuir com o desenvolvimento do município.

QUEIXA – Moradores das adjacências da Praça 30 de dezembro e do terminal rodoviário de Igaratá reclamam o que chamam de mal-uso que está sendo dado às antigas instalações da creche depois que a Unidade Mista de Saúde foi transferida de volta para o local original. Segundo eles, o espaço público foi transformado em “fumódromo” para drogados e alcova de casais em busca de refúgio.

QUEIXA 2 – De fato tão logo a Unidade de Saúde deixou o local o espaço entrou em reforma. Nessa semana serviu de abrigo temporário para jovens atletas que disputam o CUP Igaratá, uma competição de futebol de base que reúne crianças de diversas cidades e países visitantes. A queixa foi convertida em barulho e gritaria até altas horas da noite.

SOCIAL – Essa semana o espaço deixa de ficar vazio. Será transferido para lá os setores de atendimento social. Da Secretaria de Assistência Social e Cidadania até o CRAS (Centro de Referência da Assistência Social). O prédio está sendo adaptado para as novas funções, inclusive com fechamento do entorno para evitar invasões noturnas.

CAMPANHA – Dois cidadãos estão frequentando as igrejas evangélicas de Igaratá dizendo que receberam de Deus a missão de serem candidatos a prefeito e vice-prefeito do município. Eles precisam ser mais cuidadosos, Deus antes de tudo, mandou que se cumpram as leis e campanha antecipada é crime.

OUVIDORIA – Na primeira semana da ouvidoria digital da Prefeitura de Igaratá 30 pessoas já registraram denúncias, solicitações e reclamações no sistema que gera protocolo. Houve reclamação de buracos, remoção de lixo e entulho e até denúncias de que funcionários escalados para limpar o mato de uma rua esconderam as enxadas e desapareceram. Houve também reclamação de falta de transporte coletivo na cidade, falta de energia elétrica e sinalização urbana. A Ouvidoria respondeu a todos agradecendo e encaminhando os problemas para quem pode resolver. É o exercício da cidadania!

SANTA ISABEL

ÓBVIO – Na edição da semana retrasada do Jornal Ouvidor publicou uma foto enviada por um leitor que fotografou o seu filho dentro de uma cratera na rua Ninho Verde, no Bairro do Aralú. Um Vereador, sensibilizado com a imagem, cobrou providências ao Secretário de Serviços Municipais, e depois postou nas redes sociais a sua atitude. O que a população está questionando é a divulgação de fatos que constituem obrigação, tanto do vereador quanto do secretário, como se fossem “favor”. A população está cansada do óbvio, não há nada para ser parabenizado, ambos são servidores do povo. Cumprem a obrigação!

ÓBVIO2 - A manutenção de estradas rurais é necessária, e não adianta culpar a chuva. Até o mês de março a tendência é chover todos os dias. Enquanto a notícia no Facebook for manutenção e fechamento de crateras ocasionadas pela chuva, sem a devida providência para o escoamento de águas pluviais, o problema vai se repetir todos os anos.  Obras para evitar os estragos da chuva e planejamento para sanar o problema definitivamente é atribuição do Secretário que, infelizmente, consegue apenas realizar manutenções paliativas.

DE OLHO - Os isabelenses estão opinando e criticando a gestão municipal nas mídias sociais. A bola da vez é questionar as ações do Legislativo, além de incitar a necessidade de renovação do quadro de vereadores e críticas ao Executivo. No movimento há inclusive internautas fazendo uma pré-campanha para eleições de 2020, utilizando a politicagem de apontar as mazelas do município. Enquanto isso a população não política é penalizada!

DE OLHO 2 – Nessa de fiscalizar o legislativo essa semana o ar alvo foi o ar condicionado da Câmara. Adquirido por pouco mais de R$48.000,00, pelo então presidente Clebão do Posto está deixando, nesse verão incandescente, os vereadores de cabeça quente. Já passou até pela cabeça de alguns vereadores a ideia de devolver os equipamentos.

DE OLHO 3 – Outro equipamento que vai deixar os vereadores de cabelo em pé é o novo painel de votação. Típico nas Câmaras e Assembleias onde há muitos membros vai substituir as famosa e tradicional frase: “Quem estiver de acordo permaneça sentado, os demais que se levantem” por um aperto de botão.  A novidade tecnológica vai exigir inclusive a alteração do regimento interno da casa.

DE OLHO 4 – A verdade é que anexo ao painel há um programa que vai converter em texto tudo o que os vereadores falam, aliviando o esforço dos funcionários encarregados das atas que terão apenas de rever o que a tecnologia escreve, mas não vai substituí-los. Essa ferramenta também adquirida na gestão do vereador Clebão do Posto é alugada e custará ao legislativo R$12.000,00 por mês, ou R$144.000,00/ano.

DE OLHO 4 – Os dois meses da gestão de Clebão do Posto custaram ao legislativo isabelense R$700.000,00 entre investimentos e custeio. Todo esse dinheiro foi gasto para não devolver ao executivo a sobra da verba destinada, no orçamento de 2018, ao Legislativo. Outros R$471.000,00 foram devolvidos à Prefeitura pelo presidente à época, o próprio Clebão.

VAIDADE – Diz o ditado que quem faz a fama deita na cama. Essa é uma lição que a Prefeita Fábia Porto poderia aprender ao longo dos próximos meses. A fama que precede o novo secretário de Desenvolvimento Econômico é que a vaidade é maior que a qualidade do trabalho. Tanto que, dizem pelos corredores, que é a pasta que mais contratou cargos de confiança em 2019.

VAIDADE2 - Quatro empreendimentos reclamaram junto ao Ouvidor que entraram com uma solicitação na secretaria de Desenvolvimento Econômico no período em que era comandada por Sérgio Sidorco. Tudo seguia normal, prazos etc. Para surpresa destes, nesta semana foram informados que as regras mudaram porque mudou o secretário e terão de refazer todo o processo, com novos prazos etc. 

VAIDADE3 - Tudo isso na semana em que a Prefeitura lança o Invest Santa Isabel, uma lei que visa atrair grandes indústrias para o município. Seria interessante que, além dos incentivos para os grandes, houvesse mais respeito pelo comércio local, mesmo os pequenos. São eles que estão na cidade há anos. Talvez seja difícil para quem é de fora entender, “vaidade” seria saber!

ABANDONO – Enquanto o secretário desfila ao lado da Prefeita, (a fim de sair na imprensa?) o Parque Municipal está cada dia mais abandonado. Valetas viram crateras na pista de caminhada, que em pouco tempo será pista de pular obstáculos (buraco, lama, pedra). Ou o atleta vai em grupo praticar esporte, ou escolhe um horário de maior movimento. Caso contrário, os riscos da falta de segurança não favorecem a caminhada no local.

PÁTIO – O Pátio da Feira de Santa Isabel já virou piada de mal gosto. Caminhões utilizam o espaço como garagem, algumas carrocerias dormem no local por semanas. Usuários de drogas usam a laje do Terminal Rodoviário de hospedaria, bem como o Centro de Exposições do Pátio da Feira. 

PÁTIO2 – O interessante é que o galpão do centro de exposição da feira foi invadido tantas vezes pela porta, que fecharam com paredes de bloco. Óbvio que não resolveu o problema, já que as laterais são fechadas apenas com tela de alambrado. Gastaram tijolo à toa, e ainda tornaram a faxina mais difícil.

PAT – Do pátio para o PAT. O Posto de Atendimento ao Trabalhador, vinculado à secretaria de Desenvolvimento Econômico, também tem sido alvo de críticas. Nas redes sociais do Jornal Ouvidor os internautas denunciam que o departamento funciona na base dos conchavos, a vaga está lá, mas só é preenchida pelos amigos de quem trabalha/comanda o PAT. É a troca de serviços por votos? Será?