No Pé do Ouvido

por Redação

Crônicas Em 21/09/2018 20:46:28

ARUJÁ

PILATOS – Os vereadores de Arujá, aparentemente, lavaram as mãos. Continuam subindo na tribuna e protestando contra a gestão da saúde pública na cidade. Mas a abertura de Comissão Especial de Inquérito – CEI ninguém nem tocou mais no assunto. Falar é fácil, o que fazer é que muda a realidade.

AGENDA – Rogério da Padaria reclamou mais uma vez que tem unidade de saúde descumprindo a lei de atendimento da população. O agendamento de consultas deve ser feito em todas as unidades das 8h às 17h.

PERDA –Rogério da Padaria reclamou que houve furto de fios na UPA do Barreto que ainda nem foi inaugurada. Paralelamente, chamou de fantoche a secretária da Pasta que, segundo ele, não detém a caneta que resolve os problemas da área.

UBER – O vereador Paulinho Maiolino fez um agradecimento para a secretária de Saúde que gera um problema. Explico: Ele ressaltou que uma pessoa precisava de transporte ambulatorial e não havia vagas na unidade de referência. Mas a pessoa o procurou na Câmara e, com uma ligação, 40 minutos depois, havia um carro disponível para o serviço.

AUDIÊNCIA - Na próxima terça-feira, 25/09, a Câmara de Arujá sediará audiência pública de prestação de contas da Saúde referente às ações executadas no 2º quadrimestre.Bom momento para a população questionar como se faz a gestão da Pasta.

IGARATÁ

SEM CRÉDITO - Afastado de suas funções como servidor da Prefeitura por conta de uma sindicância que investiga o setor onde ele trabalha, o vereador Coquinho corre preferencialmente os botecos da cidade e, com uma pasta de documentos, diz que a Prefeitura de Igaratá está devendo para a empresa Transvitória, que presta o serviço de transporte coletivo.

SEM CRÉDITO 2 - Recentemente, o próprio dono da empresa desmentiu nas redes sociais uma publicação de Coquinho sobre esse assunto. O vereador passou vergonha, mas não aprendeu. O que é estranho nisso tudo é o interesse do vereador pelos créditos da empresa já que, como representante da população, nunca se viu Coquinho cobrando melhoria na prestação do serviço de transporte coletivo.

IMPUNIDADE - O episódio da apuração de eventuais fraudes no RH da Prefeitura de Igaratá, que culminou com o afastamento dos servidores que trabalhavam no setor pegou muita gente de surpresa. No final de 2016, ainda no mandato do ex-prefeito Elzo, também houve formação de uma sindicância para a apuração de desvios na contabilidade, que somavam mais de R$80 mil. 

IMPUNIDADE 2 - Naquela oportunidade ninguém foi afastado, não foi apontado o autor da fraude e muito menos alguém foi punido. Quem perdeu foi só a população que teve os cofres públicos saqueados, no mais prevaleceu a impunidade, que sem dúvida alguma incentivou no novo caso, agora o do RH. 

PRECATÓRIOS - A Prefeitura de Igaratá disponibilizou em seu site e nas redes sociais a listagem completa de precatórios que devem ser pagos neste ano. Lá tem tudo: nome, número do processo e valor dos débitos. Os precatórios são dívidas judiciais que aconteceram em gestões passadas e que estouraram agora. Dessa leva, a quase totalidade dos débitos foram gerados na gestão do ex-prefeito Elzo de Souza, entre 2009 e 2014. 

PRECATÓRIO 2 - Embora não tenha feito a dívida, o atual Prefeito vai ter que se virar e pagar o débito, caso contrário tem as contas rejeitadas. A conta, bastante salgada, beira os R$ 700 mil. É uma bomba relógio armada lá atrás, que explodiu no colo de outro e a conta é paga por todos.

REJEITADAS – O Tribunal de Contas do Estado rejeitou as contas apresentadas pela GASE (Grupo de Assistência à Saúde e Educação) e do então prefeito Elzo de Souza referente aos valores pagos à entidade que prestou serviços ao município na área da saúde em 2011. O TCE determinou ainda a devolução do valor correspondente à R$55.490,00, devidamente atualizado.

SANTA ISABEL

CPI – A safra de Comissões Parlamentar de Inquérito na Câmara de Santa Isabel está aberta. Essa semana o presidente da Casa contou que está sendo gestada a que vai investigar supostas irregularidades na contração da empresa que vai aplicar o Concurso Público para a contratação de servidores para Secretaria de Educação. 

CPI 2 – Alencar justifica a formação da Comissão com os resultados dos concursos realizados nos últimos anos que, segundo ele, foram desastrosos. Mas a proposta apresentada em denúncia do Gabriel da Água a ser investigada refere-se a não observância do art. 84 da Lei Orgânica do Município que determina a elaboração das provas dos concursos públicos por professores da rede estadual de ensino e de acordo com as disciplinas ministradas. 

CPI 3 – Quer investigar também o não cumprimento do objeto contratual no prazo ajustado e que foi prorrogado para o dia 8 de setembro de 2018, sendo que as inscrições se estendem até o dia 22 de outubro, sem data ainda para a realização das provas e divulgação dos resultados, ou seja fora do prazo contratual.

CONVITE - Nessa semana a diretora de Tributos da prefeitura de Santa Isabel, Sheila Intaschi Ramalho compareceu na sessão da Câmara para prestar os esclarecimentos solicitados pelos vereadores de oposição. Ela confirmou ser sócia da empresa Awatar, mas negou que tenha alguma ligação com a empresa SHDias. De acordo com ela, essa confusão foi plantada em uma Ação Popular devido a coincidências dos sobrenomes de seu marido Sérgio Martins Dias (esposo de Sheila) e o dono da SHDIAS (Sérgio Henrique Dias).

CONVITE 2 – Depois das explicações Sheila permaneceu na Tribuna sendo sabatinada pelos vereadores. Perguntaram tudo que se referia ao trabalho dela no setor de finanças do município, mas nada em relação ao motivo pelo qual ela foi convidada a comparecer ao Legislativo. Para tudo, Sheila tinha respostas, no mais dizia que a competência para responder era de outras pessoas da administração municipal.

AUSENTE – Apesar do convite o Diretor Responsável da PEM Transporte Municipal Urbano, Jorge Duarte Ramalho Torres, não compareceu à Câmara isabelense. Ele teria na Tribuna a oportunidade de esclarecer as dificuldades que sua empresa está passando para cumprir o contrato com a Prefeitura Municipal. Não apareceu, nem justificou. Aparentemente o veículo que o transportava fundiu o motor no caminho.

BUROCRACIA – O vereador Márcio Pinho criticou a terceirização e o excesso de burocracia para o atendimento nas questões de saúde. Exemplificou o caso em que apenas uma ambulância do Cresamu opera na cidade e que, diante de outra ocorrência, uma segunda viatura teve de ser deslocada de outra cidade. Na opinião do Vereador, a demora no atendimento pode agravar o estado do paciente.

BUROCRACIA 2 - Outro problema citado foi a qualidade no atendimento da farmácia municipal que, em sua opinião, é excessivamente burocrático. Lembrou que muitas vezes o paciente vem de longe, da zona rural, e os atendentes exigem documentos que impedem muitas vezes a liberação dos medicamentos. Citou a necessidade de desburocratização e o tratamento humanizado aos cidadãos.

CIRCO – O vereador Gabriel da Água apresentou um requerimento querendo saber o quanto foi pago pelo Draicon Circus que ficou estacionado em um espaço público por uma temporada. Apesar de dizer que a renúncia fiscal é crime, nenhum vereador defendeu o pedido que acabou rejeitado.

PEDREIRA – O relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito que apura o uso de um trecho de uma estrada pela Pedreira Santa Isabel ainda nem foi votado, mas o vereador Gabriel da Água já solicitou a reabertura da estrada com base no laudo pericial anexado ao processo. Nele consta que Pedreira instalou um galpão em cima da estrada.

LDO - Vereadores aceitaram o veto parcial aposto ao Projeto de Lei que dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da Lei Orçamentária Anual para o Exercício Financeiro de 2019. O projeto enviado pelo Executivo retirou as emendas impositivas dos vereadores, mas Câmara refez o projeto, acrescentando novamente as emendas a pedido do vereador Mauricio.