No Pé do Ouvido

por Redação do Ouvidor

Colunas & Opiniões Em 13/04/2018 23:38:45

ARUJÁ

UNIFORME – O vereador Renato Caroba denunciou a licitação dos uniformes escolares em Arujá. O processo ainda não acabou, mas é o que ele quer evitar. “Estaria prevaricando se não desse o alerta”, diz. A questão é que a diferença entre a vencedora do certame e a empresa que, pelo processo está apta a fornecer os uniformes, pode gerar um custo de um milhão de reais a mais.

UNIFORME 2 – É gritante a diferença.De fato, a secretaria de Educação já havia contestado reportagem impressa no jornal Ouvidor referente ao caso dos uniformes. Na ocasião, o que mais incomodou foi a afirmação de que o processo custaria milhões. Se continuar como está, custará mesmo.

UNIFORME 3 – A empresa que venceu a licitação foi rechaçada pela comissão de avaliação sob a justificativa de que os uniformes apresentados como amostra não atendem a qualidade exigida no edital. “A diferença de qualidade tem que ser absurda, para escolher a terceira colocada no processo, que vai cobrar muito acima do preço oferecido pelas duas primeiras. Além disso, é muito estranho a segunda colocada desistir de participar do certame”, diz o Vereador.

UNIFORME 4 – A Secretaria de Educação de Arujá informa que a licitação para aquisição ainda está em andamento, na fase final de análise de amostras por laboratório do Serviço Nacional Aprendizagem Industrial (Senai), credenciado pelo Inmetro. 

FISCALIZA – Rogério da Padaria, presidente da Comissão de Educação, conta que fiscaliza a licitação dos uniformes e já teve acesso as amostras da primeira empresa. Um milhão de reais a mais no preço é muito, ainda mais que o uniforme apresentado tinha poucos erros, alguns de costura.

CANDIDATO – O secretário de Educação, Dr. Márcio Oliveira, já está fora da pasta. Pode manter-se como vice, mas se exonerou do cargo para ser candidato nas eleições de 2018. Se nada der certo, ele acredita que volta. Ele sim, mas o resto da gestão nem tanto.

IGARATÁ

JANELA – A mudança de governador abriu a temporada de caça de lideranças. Uma comissão do partido do governador em exercício, Márcio França, visitou o prefeito Celso Palau. Na pauta, o convite para que deixasse o ninho tucano, abrigando-se no partido no PSB. Como é de seu feitio, Palau ouviu a proposta silenciosamente e prometeu estudar o assunto.

ARTICULAÇÃO – Na agenda da Assembleia Legislativa estava prevista a votação da inclusão de 40 municípios no programa do “Município de Interesse Turístico”. Contudo, na véspera, o tema não entrou em pauta, deixando os prefeitos indignados. Na terça-feira, 31 prefeitos passaram a tarde em sucessivas reuniões articulando a inclusão do tema na pauta do dia: conseguiram uma sessão extraordinária.

ESCOLA TÉCNICA – Foi aprovada pela Fundação Paula Souza a reabertura da sala descentralizada da ETEC em Igaratá. De 2007 a 2009 uma sala foi aberta na cidade e depois fechada por desinteresse da administração municipal. O retorno dessa escola, que deve funcionar nas mesmas instalações da Escola em Tempo Integral, é empenho pessoal do ex-prefeito de Mogi, Marco Bertaioli, que vai beneficiar estudantes que terão oportunidade de concluir o ciclo médio já com o encaminhamento profissional. Será instalado o curso de Logística.

UNIVERSIDADE – O deputado André do Prado convidou o prefeito Celso Palau para participar de um encontro com o diretor administrativo da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp). No próximo mês de maio será aberta a lista de municípios interessados em sediar um pólo da universidade, e Palau já se manifestou favorável. Quer um curso de engenharia em Igaratá.

ECONOMIA – Essa semana foi concluída a licitação de cestas básicas para o funcionalismo de Igaratá. O novo fornecedor ganhou a licitação com a oferta dos mesmos produtos que compunham a cesta do antigo fornecedor com uma economia de R$47,00 por unidade. O que custava R$117,00 passou a custar R$70,00, uma economia de quase R$400.000,00 por ano.

SANTA ISABEL

23H – O tempo de resposta da Prefeita Fábia Porto para a reportagem filmada pelo Ouvidor na Av. Brasil nesta semana foi de 23h. Ficamos mesmo felizes de poder contribuir com a população que andava cansada de reclamar com o setor da Ouvidoria municipal. Agradecemos a Administração por acompanhar de perto nossas reportagens e responder a cada denúncia com trabalho ao invés de palavras.

B.O. – Falando em palavras, o secretário de Assistência Social Ti Nagate fez questão de registrar um Boletim de Ocorrência contra o Jornal Ouvidor. Uma coisa é fato, a reportagem pode ter sido interpretada pelo Secretário como politicamente desagradável, mas promoveu mais ações.

B.O 2 – Pelas fotos divulgadas pela assessoria de imprensa, Ti Nagate conseguiu nesta semana, após meses de consternação e omissão, retirar as pessoas em situação de rua da Praça do Idoso e colocar o pessoal da melhor idade no local. Parabéns! Até as abordagens feitas pela Associação Afro com as pessoas em situação de rua tiveram a graça da presença do secretário Ti. Foi realmente uma semana de muito trabalho!

SEM ÁGUA – Nesta semana faltou água em diferentes bairros de Santa Isabel e a principal reclamação dos moradores, além dos dias de torneiras secas foi com a falta de comunicação da Sabesp em informar com antecedência seus usuários das eventuais obras previstas ou acidentes que tenham provocado o corte. De acordo com as reclamações enviadas para o WhatsApp do Jornal Ouvidor, faltou água por mais de três dias seguidos, nos Bairros Brotas, Pq. São Benedito e Estância Kennedy. 

CONTRATOS – Embora apresentados com antecedência para a deliberação do Conselho Municipal de Saúde, os dois novos contratos a serem firmados ainda podem levantar muitas dúvidas e suspeitas. A explanação do secretário de Saúde, Cleber Vinicius, convenceu a maioria de que terceirizar a farmácia e parte do transporte ambulatorial é a melhor escolha para se fazer, uma vez que ambos os setores estão sucateados e trazem sérios custos para o município.

FARMÁCIA – Na farmácia está previsto uma licitação para contratação de empresa especializada no gerenciamento, armazenamento e distribuição de medicamentos e insumos hospitalares as unidades de atenção básica. A projeção da Secretaria é que este serviço custe ao município cerca de R$3,8 milhões ao ano. Os benefícios apresentados são a redução do atual desperdício de 30% de medicamentos e insumos e a garantia de que haverá farmacêutico em todas as unidades de Saúde da Família. Devido à falta deste profissional nas unidades, o município levou uma multa no mês passado no valor de R$18 mil, aplicada pelo Conselho Regional de Farmácia.

TRANSPORTE – O outro contrato é do transporte ambulatorial. Cleber explicou que é necessário contratar uma empresa para essa finalidade, devido aos inúmeros carros deste setor que estão sucateados na oficina e no pátio da secretaria de Serviços Municipais e além da alta demanda de aproximadamente 120 pacientes transportados por dia, segundo dados da própria Saúde: “Não posso mais ficar na dependência de pegar um carro do Esporte ou outro setor para garantir a condução de nossos pacientes para as cidades de referência. Já não tem mais o que fazer com esses veículos senão aposentá-los”, explicou.

MATEMÁTICA – O contrato prevê apenas o transporte de pacientes, exceto acamados, para consultas médicas. Numa conta simples, Cleber explicou a necessidade dessa contratação, mesmo quando a Saúde recebeu recentemente a doação de sete carros da Câmara Municipal. De acordo com ele, somados horas-extras, despesas mecânicas, combustível, entre outras, os carros doados pela Câmara dão a Saúde mensalmente um custo aproximado de R$49 mil, transportando apenas 28 pessoas, somados acompanhantes e pacientes.

MATEMÁTICA 2 – Com o novo contrato, o transporte passará a ser feito por três vans em um custo aproximado de R$45 mil para conduzir de 50 a 60 pessoas, podendo variar os valores com o processo licitatório. Os carros doados pela Casa de Leis continuarão na saúde para transportar pacientes de oncologia e hemodiálise.

MUDANÇA – Sabe aquela obra feita pelo Pe. Gabriel para abrigar os funcionários da ambulância ao lado da UBS do Brotas? Pois é, vai virar abrigo para os funcionários do CRESAMU. Os servidores públicos de Santa Isabel voltam para o antigo abrigo, em frente ao Lar dos Idosos Laura Frugolli, mas com a promessa de que a secretaria de Saúde vai reformar o local antes da mudança.