No Dia do Meio Ambiente, Arujá ganha Programa de Despoluição do Rio Baquirivu

Nesta quarta-feira (5), data em que é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, a Prefeitura de Arujá, em parceria com o Governo do Estado, lançou o projeto piloto do Programa de Despoluição dos Rios da Região Metropolitana de São Paulo

Cidades Turismo & Natureza Em 06/06/2013 10:27:45

Nesta quarta-feira (5), data em que é comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, a Prefeitura de Arujá, em parceria com o Governo do Estado, lançou o projeto piloto do Programa de Despoluição dos Rios da Região Metropolitana de São Paulo – Programa Arujá Baquirivu Limpo. O município é o primeiro a receber a iniciativa, que visa principalmente ampliar o tratamento de água e esgoto e eliminar poluentes nos córregos e rios.

Segundo o coordenador de Assuntos Especiais do Estado, Rodolfo Costa e Silva, a finalidade do programa é despoluir córregos e rios da região metropolitana, entre eles o Pinheiros e o Tietê, que recebe a água de todos os demais. “Elaboramos as estratégias para iniciarmos todas as intervenções necessárias e Arujá é o município pioneiro neste processo de despoluição”, afirmou.

O coordenador explicou que “para se pensar na despoluição dos rios Tietê e Pinheiros, é preciso primeiramente agir nos córregos e afluentes de seu sistema, como é o caso do Baquirivu”. “A expectativa é de que até 2014 o Baquirivu, no trecho de Arujá, esteja ajustado a uma nova realidade de preservação ambiental. Com o apoio da Prefeitura, vamos trabalhar para que isso aconteça e a cidade se torne referência para as demais”, destacou.

Já o gerente da Sabesp, Eduardo Camargo Afonso, lembrou que em 2020 todo o esgoto da região metropolitana deverá ser tratado. Hoje, a empresa coleta 85% do esgoto da região metropolitana, ou seja, esse é o volume de esgoto desviado dos rios e 70% são tratados em estações. “Os resultados do processo de despoluição dos rios devem surgir nos próximos anos e o apoio de Arujá e das demais cidades é fundamental”.

Na ocasião, a secretária municipal de Meio Ambiente, Ionara Fernandes, informou que em Arujá as principais diretrizes do programa são: lançamento de esgoto; controle de resíduos sólidos; diagnóstico de uso e ocupação; educação ambiental e divulgação do programa. Ela também mencionou as estratégias traçadas para o plano de recuperação da bacia do Baquirivu.

“Os municípios tendem a crescer, se modificar e desenvolver em torno dos rios. A história do Baquirivu não é diferente da história do Tietê, pois a cidade também se desenvolveu em volta deste córrego. E essa consciência de que o desenvolvimento de Arujá está atrelado ao Baquirivu, e de que precisamos preservá-lo para preservar nossa história, é o que nos deixa ainda mais motivados a trabalhar por esta causa”, acrescentou Ionara.

O prefeito Abel Larini, por sua vez, falou da importância da iniciativa para a cidade e toda a região metropolitana. Na oportunidade, ele também pediu que o público refletisse sobre as atitudes que tem tido para com o meio ambiente. “As ações que visam a preservação ambiental podem ser coletivas, como esta lançada hoje, mas também são individuais. Todos nós temos que dar o exemplo, todos os dias”.

Licenciamento ambiental

Durante o encontro, Larini lembrou que às vésperas do Dia do Meio Ambiente ele protocolou na CETESB de Guarulhos a documentação necessária para a obtenção do licenciamento ambiental do Mirante. O documento, também chamado de alvará metropolitano, é um dos itens essenciais para o avanço do processo de legalização do bairro.

 “Em cinco de junho de 2012 nós concluímos a regularização do Barreto. Já neste ano, também na Semana do Meio Ambiente, conseguimos dar entrada no pedido de licenciamento ambiental do Mirante e avançamos mais uma etapa importantíssima para a legalização deste que é um dos maiores bairros da cidade”, acrescentou o prefeito.