Municípios promovem Conferências Culturais

Nas Conferências Municipais de Cultura foram escolhidas as propostas que serão levadas para a Conferência Estadual e Nacional. Todas podem fazer parte de um novo plano de políticas públicas dos municípios

Cidades Cultura Em 09/08/2013 11:54:03

Reportagem: Bruno Martins e Érica Alcântara

 

Arujá e Santa Isabel realizaram nas últimas semanas as suas Conferências Municipais de Cultura, que contou com a participação de uma população disposta a trazer novas propostas que serão levadas primeiramente à Conferência Estadual de Cultura que acontecerá nos dias 11 e 12 de setembro e em seguida serão encaminhadas a Conferência Nacional.

No último sábado, a secretaria de Cultura de Arujá reuniu mais de 100 pessoas na Escola Municipal Dalila Ferreira Barbosa, para a Conferência Municipal. Foram definidas 37 propostas que podem fortalecer a inserção do município no Sistema Nacional de Cultura, após serem discutidas na conferência estadual.

Dentre algumas propostas aprovadas estão à construção e revitalização de espaços públicos para apresentações, implantação de projetos culturais itinerantes, criação de um anfiteatro e um centro cultural onde poderá ser ofertado para a população diversas oficinas e que também poderá ser utilizado para outras manifestações artísticas.

“Dessa vez a conferência foi bem produtiva e teve uma dinâmica que garantiu maior eficiência aos trabalhos. Agora, vamos lutar para levar adiante nossas propostas”, disse Gracieti Silva Santos representante da associação dos moradores do Bairro Rodrigo Barreto.

Estiveram no encontro o Deputado Federal Roberto de Lucena e a secretária de Cultura de Arujá, Bernadete de Lucena.

 

Santa Isabel conta com representante do Minc

 

Em Santa Isabel a Conferência Municipal de Cultura começou na quinta-feira, dia 08, com a apresentação de uma palestra de Henry Durante, representante do Ministério da Cultura - Minc, que destacou que a política nacional tende a ofertar mais oportunidade a diversidade cultural existente no país. “Sabemos que a Lei Rouanet hoje não atingi todos os pequenos grupos movimentam e mantém viva a cultura em seus bairros e municípios, esta lei acaba auxiliando espetáculos de artistas da Globo e do Circo de Soleil”, criticou.

Henry destacou que a cultura influencia “nosso modo de viver, de amar, de ser e por isso deve ser valorizada”, o representante do Minc aproveitou para elogiar a grande participação do executivo, pois estavam presentes além do prefeito Padre Gabriel Bina, o vice-prefeito Pastor David de Lucena, a secretária de Cultura Maria José Varanda, outros secretários e diretores municipais e o legislativo que, somente no primeiro dia, marcou presença com cinco vereadores: Orlando Paixão, Teresinha Pedroso, Edson Fontes, Neurisvan Azevedo, Claudinei Nagate. “É importante a participação de todos para mudar as leis que regulam a destinação de recursos que apoiam os produtores de cultura, parabéns ao legislativo de Santa Isabel que está acompanhando os anseios da comunidade de perto”, disse.

Segundo Durante, o Ministério anseia com as conferências abraçar a diversidade e trazer o equilíbrio entre a economia e a cultura.

A exposição de folclore, dos filatélicos: João R. Baylongue e Eduardo de Lima C. Leite; as apresentações do ator Emerson Bicudo; dos músicos Adonai Fagioni e Pâmela Albuquerque; mais o encerramento com a musicalidade dos professores da Orquestra de Metais e músicos da Banda Municipal de Santa Isabel, tudo isso levou parte do público às lágrimas. 

“Não chora Yara”, disse Pâmela depois de cantar. “É linda a música de Roberto Carlos ‘Nossa Canção’, a apresentação foi fantástica, mas me emociona estar presente neste momento, em que vislumbro que a cultura mudará Santa Isabel para melhor”, finaliza.