Mototaxistas param o Centro de Santa Isabel

Sentados no meio da Avenida da República eles protestaram o atendimento da ambulância no município

Cidades Em 01/11/2018 21:43:11

Companheiros das ruas, colegas de trabalho, na segunda-feira, 29/10, os mototaxistas que trabalham em Santa Isabel resolveram fazer um protesto contra a situação do atendimento de ambulâncias no município. No cruzamento entre a Avenida República e a Rua Cel. Ramos, bem defronte ao gabinete da Prefeita Fábia Porto, eles sentaram no asfalto impedindo o trânsito de qualquer veículo na principal via de circulação da cidade.

Imediatamente um buzinaço começou a ecoar no coração comercial de Santa Isabel. A Polícia Militar foi acionada para pedir aos mototaxistas que liberassem a via. Não houve resistência. A PM contou que os manifestantes colaboraram.

A Prefeita Fábia recebeu três representantes do grupo, enquanto a imprensa buscava informações com os demais manifestantes na rua. (Veja a transmissão ao vivo pelo facebook do Jornal Ouvidor) 

Aparentemente, as versões de portas fechadas não era a mesma de quem ficou na avenida. 

Mototaxistas no Jornal

Na quarta-feira, dia 31/10, Vanilda Oliveira; Givaldo Reis, Jorge Carlos Pichirilu e os irmãos Ailton, André Luiz e Ednilson de Souza aceitaram o convite para tomar um café na redação do Jornal Ouvidor, onde poderiam detalhar quais as reivindicações dos mototaxistas.

Contaram que o colega Maurício se acidentou gravemente, por volta das 20h40, ficando estirado no meio do caminho, no Bairro Jd. das Acácias. O rapaz da outra moto, sofreu algumas escoriações e também ligou 192 para chamar a ambulância. “A ligação cai em Mogi das Cruzes, com profissionais que pouco ou nada sabem das especificidades de nossas ruas e estradas. Depois de responder um longo questionário da primeira atendente, quando a ligação é transferida para um médico ele repete exatamente as mesmas perguntas custando mais tempo de vida para o acidentado”, reclamaram.

De acordo com a secretaria de Saúde, a ambulância de Santa Isabel estava empenhada em outra ocorrência, que envolvia grave mordedura de animal que, supostamente, dilacerou parte do braço de uma pessoa. 

Com a demora no atendimento de Maurício, os mototaxistas contam que foram até a base do Cresamu pedir ajuda, mas lá, apesar de não ser nem 22h não encontraram ninguém. “Estava tudo apagado. Batemos e ninguém atendeu”, disseram.

Sem ajuda, correram no setor de ambulância da prefeitura e lá o atendente se dispôs a ir até o local do acidente e fazer os primeiros socorros até a chegada da ambulância do Cresamu. “Mas para sair do setor nós precisamos empurrar uma perua que atravancava a saída da ambulância e que, até então, estava toda desequipada. O rapaz que nos ajudou foi muito humano e, quando ele viu a gravidade, se responsabilizou em levar o Maurício até a UPA, onde ele foi muito bem atendido”, contaram.

Dr. Orlando Tavares Pinheiro, segundo os motociclistas, ajudou a estabilizar o mototaxista para transferi-lo para a Santa Casa. E o Dr. Carlos Chinchilla ajudou a levantar as informações de como estava o paciente. 

Segundo o grupo, a manifestação dos mototaxistas é apartidária e não aceita a participação de qualquer vereador. “Não queremos politicagem, nosso objetivo é melhorar o atendimento do transporte da saúde para todos os cidadãos”, resumiram. 

A reunião com a Prefeita Fábia durou cerca de duas horas. “Ela se comprometeu em treinar quatro equipes com motoristas de Santa Isabel, que conhecem a cidade, e garantiu uma ambulância sempre a postos além daquela de referência do Cresamu”, revelaram.

Os mototaxistas contam que na próxima semana vão cobrar igualmente do poder legislativo.  “Eles aprovaram o Cresamu, também são responsáveis, queremos saber quais as ações de fiscalização estão desempenhando e que medidas legais adotaram para evitar que as falhas cometidas nos últimos tempos se repitam e custem mais tempo de vida”, finalizam.