Morte no Parque Santa Teresa

Uma adolescente morreu e o motorista, também jovem, ficou para o resto da vida marcado por esta tragédia

Cidades Em 26/06/2020 18:03:26

Na madrugada da última terça-feira, 23/06, um acidente marcou para sempre a vida de duas famílias. Uma adolescente de 16 anos morreu e um jovem de 18 anos foi indiciado por homicídio culposo.

A Polícia Militar fazia o patrulhamento de rotina quando, na Rua Presidente Dutra, os policiais avistaram um veículo parado na via e deram início ao levantamento da placa para verificar se havia alguma queixa de crime.

O motorista do veículo começou a sair vagarosamente do local, mas logo em seguida disparou em alta velocidade, levantando uma densa cortina de fumaça, com a poeira da estrada de terra. 

A PM seguiu o veículo com cautela devido à falta de visibilidade. E quando a poeira abaixou, os policiais avistaram carro batido. Aparentemente o motorista perdeu o controle e colidiu violentamente contra uma árvore.

No interior do veículo havia duas pessoas. O rapaz C. dos S. F. de 18 anos na condução do veículo. Ele sofreu escoriações no rosto, o braço quebrado e notoriamente desnorteado em razão da batida. Os PMs perguntaram o que aconteceu e o mesmo admitiu que, ao avistar a viatura policial, resolveu fugir porque não possui CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

No banco do passageiro estava a adolescente R. B. L. de 16 anos. Ela morreu em razão da violenta batida na árvore.

Diante dos fatos, os policiais proferiram voz de prisão em flagrante. Mas devido aos ferimentos, o rapaz foi socorrido para o Hospital Luzia de Pinho Melo, sob escolta da Polícia Militar.

O jovem não possuía antecedentes criminais. Ele foi indiciado por homicídio culposo na condução de veículo automotor, sem fiança.

O desespero da família da menina foi imensurável. A mãe e a irmã estiveram no local do acidente, aparentemente passaram a noite ao lado do carro batido, esperando a perícia chegar e liberar o corpo da filha. Mais tarde estiveram na Delegacia, segundo informações, nenhuma das duas conhecia o rapaz.

Ainda no dia 23/06, em razão do autuado ser primário e possuir residência fixa, o Juiz de Direito, Dr. André Luiz da Silva da Cunha concedeu liberdade provisória a C. dos S. F., impondo-lhe as medidas cautelares.

Familiares do rapaz disseram que tentaram contato com a família da jovem para oferecer apoio, mas não obtiveram sucesso na tentativa. A avó do menino diz que ele está traumatizado e ora diuturnamente para que Deus conforte o coração daqueles que perderam uma filha.