Manifesto sobre o CAPS

por Dr. Carlos Chinchilla

Saúde Em 03/10/2018 12:18:23

 

A diretriz do Ministério da Saúde considera o CAPS como principal ferramenta para a promoção e tratamento da saúde mental, a portaria GM336 de 19/02/02 orienta a adesão dos municípios segundo seu porte, por exemplo, para CAPS1 municípios até 20.000 habitantes, que dispõem de rede básica com ações em saúde mental: ambulatórios próprios, grupos terapêuticos, terapias ocupacionais etc.

O que não tem em nosso município, apesar de contar com mais de 800 pacientes cadastrados na saúde mental, que somente são atendidos a modo “troca de receita a cada 60 dias”. Por este motivo o CAPS foi incluso no programa de governo da atual gestão, como promessa de campanha, repetida nos lives da Prefeita.

Hoje vejo mais uma negativa para o direito à saúde em nossa comunidade com o argumento que não seria mais necessário e ainda caro (mais de R$630.000,00); enquadrando os gastos fixos para uma equipe mínima de CAPS 1, com médico, enfermeiro, psicólogo e terapeuta ocupacional, somados com os técnicos de enfermagem, artesanato, tec. educacional e tec. administrativo, com encargos sociais, somando aproximadamente R$58.000,00. 

Sabendo do subsídio de R$28.305,00 e considerando que existem prédios públicos sem uso que poderiam ser utilizados, e ainda pessoal fixo que poderia ser alocado para este fim, sem gerar gastos extras, fica somente o material de consumo, dos trabalhos, energia, água, manutenção, mas dificilmente o valor expressado pelo secretário, posto que municípios vizinhos tem um gasto de 40% do valor dito. Certamente com a onda da terceirização os R$630.000,00 serão atingidos, e a sua necessidade seria repetidamente falada nos meios de comunicação.

Espero que seja solucionada a demanda dos nossos doentes mentais em breve, pois o nosso povo já sofre demais com o descaso. 

Dr. Carlos Chinchilla

Vice-prefeito de Santa Isabel

 

Notícias Relacionadas