Mais de R$18 milhões de investimentos

Na última segunda-feira, 04/01, a Sabesp completou os primeiros cinco anos de trabalhos prestados em Santa Isabel

Cidades Em 08/01/2021 21:40:34

Por, Bruno Martins

Em janeiro de 2016, o município de Santa Isabel e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) deram início a um longo e árduo trabalho de tratamento e recuperação de um sistema de abastecimento de água considerado arcaico. O investimento previsto da Companhia na cidade deverá chegar, aos R$69,5 milhões até o fim do contrato.

O contrato foi uma troca de favores, em que o município, na época sob o comando do ex-prefeito Pe. Gabriel Bina, permitiu a Companhia iniciar as obras de transposição das águas do Jaguari para o reservatório de Atibainha. 

Nestes primeiros anos de trabalho, a Companhia informou que substituiu equipamentos antigos, instalou um novo sistema de captação e filtragem, remanejou tubulação da adutora de água bruta, ligando a água do reservatório do Jaguari, através de 3,5 mil metros de tubos direto a captação do ribeirão Araraquara, este rio é responsável por 55% do abastecimento de água da cidade e segundo a Companhia, o Araraquara ainda tem sofrido forte redução de volume no período de estiagem. 

Mais de 25 mil metros de rede de distribuição de água foram instalados, reservatórios reformados e ampliados afim de aumentar a reservação do sistema de abastecimento de água da cidade: “Entre 2018 e 2019, fizemos o remanejamento de quase 10 quilômetros de rede de tubulação, além da ligação direta de ramais em 840 residências. Também realizamos 240 fiscalizações para identificar ligações clandestinas”, informou. 

Entre as ligações ativas de água, a Sabesp informou que mais de 90% dos antigos hidrômetros da cidade foram substituídos por novos equipamentos, que garantem uma medição correta de consumo. “Até o final deste ano, pretendemos completar a troca dos hidrômetros antigos que ainda restam”, garante.

Investimento no esgoto

Além da água, a Sabesp também assumiu a responsabilidade pelo tratamento e destinação correta do esgoto que ainda deságua abertamente em alguns rios da cidade. De lá para cá, segundo a Companhia o sistema de esgotamento sanitário recebeu mais de 3 mil metros de redes coletoras, novos PVs. 

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) situada no Bairro Brotas já trata cerca de 7 litros de esgoto por segundo. A Companhia ainda realizou a reforma completa da ETE do CDHU no Bairro Cachoeira e ainda a construção da Estação Elevatória de Esgoto no local.

Em 2020, foram reiniciadas as obras de construção dos coletores-tronco e de duas estações elevatórias de esgotos. A obra terá duração de 24 meses, com investimento de mais de R$ 15 milhões. “Após a conclusão, a coleta e tratamento de esgoto irão passar dos atuais de 5% para aproximadamente 90%, na região central da cidade e bairros próximos”, disse.

De acordo com a Companhia estão previstas para os próximos anos outras importantes obras que deverão ampliar o sistema de reservação de água para os bairros Eldorado e Vila Guilherme, além da implantação do sistema de coleta e afastamento de esgoto para os bairros Jd. Eldorado, Jd. das Acácias e Jd. Portugal. 

Atendimento suspenso 

A Companhia informou que em decorrência da pandemia do novo Coronavírus, ainda não há previsão para o retorno do atendimento presencial na agência de Santa Isabel, porém os atendimentos remotos seguem disponíveis através dos canais eletrônicos   pelos telefones 195 e 0800 055 0195 (ligação gratuita), a Central de Atendimento, pelo portal Sabesp (www.sabesp.com.br) e também pelo aplicativo Sabesp Mobile.