Isabelense cria réplicas de caminhões

Marcelo cria réplicas perfeitas de caminhões e carretas. Seu artesanato, fiel aos mínimos detalhes, já é vendido para outros estados do país como o Rio de Janeiro e Manaus

Perfil Em 02/09/2016 17:33:47

Reportagem: Bruno Martins

 

No quarto que um dia foi de sua avó que morreu aos 101 anos, Marcelo Pereira Fortunato, 35, fez do cômodo vazio o seu ateliê de artes. Ali ele desenha moldes, corta folhas, junta pedaços e aos poucos cria caminhões de papel, réplicas tão perfeitas que fazem do isabelense uma referência no artesanato. 

Os caminhões que Marcelo faz até parecem de madeira, mas na verdade são de papel cartão e papelão. Sua primeira criação foi aos seis anos de idade, quando para suprir a falta de brinquedos na infância, pegou uma folha de caderno e fez dela uma retroescavadeira. O brinquedo não durou muito, mas foi o tempo suficiente para despertar no menino a vontade de criar cada vez mais. Ingressando na escola ele passou a conhecer melhor os papéis e então conseguiu aperfeiçoar seus brinquedos.  

Veio a adolescência e com a vida adulta, as responsabilidades aumentaram principalmente com o nascimento no primeiro filho Ítalo. Marcelo aos 17 anos largou as invenções e teve que correr atrás de um emprego que lhe desse uma renda mensal. Motoboy, por 12 anos e vendedor de sucos e lanches naturais, são algumas das atividades que ele já se empenhou.

Há cerca de um ano e meio ele voltou a fazer as réplicas de caminhões, com o auxílio da Internet, publicou em um site de vendas a foto de uma de suas criações. O sucesso foi imediato: “Tive mais dez pedidos em menos de uma semana, até tentei fazer os caminhões e continuar com a venda de sucos, mas tive que escolher entre os dois, então optei pelo artesanato”, explicou. 

Hoje Marcelo conta que já vendeu mais de uma centena de caminhões. Os pedidos chegam de diversos estados do Brasil, onde os interessados, na maioria das vezes os próprios motoristas de caminhões mandam para ele a foto de seus veículos e, com a imagem em mãos, o artesão passa a criar os moldes. 

O filho Ítalo, hoje com 18 anos, ajuda o pai cortando os moldes de papéis e também se arrisca a criar as carrocerias e cabines. Com pedaços de madeira, Marcelo faz os eixos e as rodas dos veículos. Fiel nos detalhes ele cria os adesivos e todos os acessórios que os veículos originais possuem. A pintura é que finaliza a sua arte, o uso de tinta automotiva ajuda a selar o trabalho prevenindo inclusive contra a umidade. 

De acordo com o artista, uma réplica de caminhão fica pronta em três dias, já uma carreta pode levar até uma semana ou mais: “Depende muito dos detalhes que o veículo original tem”, diz. Os preços variam de R$150,00 a R$300,00. Quem tiver interesse em conhecer o trabalho de Marcelo de perto, seu ateliê fica na Rua Diogo Batista Nunes, Nº157, Centro de Santa Isabel.