Impunidade

por Roberto Drumond

Crônicas Em 23/08/2019 23:14:04

Ultimamente a cidade Santa Isabel está envolvida em uma série de denúncias de corrupção que envergonham os munícipes que devem estar cansados de tanta repercussão negativa. São fatos que, verdadeiros ou não, contribuem para reduzir ainda mais a auto estima dos isabelenses, já tão castigados por sua história política.

As últimas denúncias de corrupção e as trocas de acusações estão deixando toda a população confusa e a omissão de autoridades que deveriam se manifestar seja por atitudes ou palavras, parece contribuir para aumentar ainda mais as dúvidas, passando a sensação de que nada para estancar essa hemorragia na imagem da cidade.

Enquanto isso, nas redes sociais, opiniões e pareceres correm como se fossem verdades únicas, notícias falsas parecem verdadeiras disparadas pela imprudência de centenas de pessoas que se arvoram no direito de intrometer na realidade apenas por possuírem acesso à rede mundial de computadores.

Como jornalistas, temos a função de divulgar os acontecimentos e deixar os leitores a par dos acontecimentos, mas não conseguimos concorrer com as notícias falsas. Elas não registram fontes, mas caem na conveniência daqueles que levam vantagem com a divulgação de qualquer fato que lhes interesse. À imprensa não cabe julgar ou prejulgar os envolvidos, apenas ouvi-los na medida em que se interessam em se manifestar. 

A quem compete solucionar essa situação? A quem devemos cobrar uma atitude? Se a conduta de um funcionário de uma empresa privada é duvidosa certamente terá de se explicar e haverá que vai se manifestar contra ou a seu favor. A omissão jamais será um premio. 

Mas no poder público não temos visto nada disso. O secretário Rodrigo Butterby colocou o seu cargo à disposição, mas a Prefeita Fábia Porto preferiu mantê-lo, mas se omitiu publicamente. Em nenhum momento se manifestou, preferindo fazê-lo internamente na Prefeitura, como ficou claro na entrevista com a secretária de Assuntos Jurídicos publicada na semana passada.

A longa novela desse roteiro de mau gosto já vem cansando a população, e passa a sensação que no meio de tantos fatos, só um é verdadeiro: a impunidade. E os problemas básicos da cidade continuam sem solução, esperando que talvez o próximo eleito solucione os problemas, porque tudo o que assistimos nada mais é do que o ensaio para as próximas eleições.

Parece-nos que... "de tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto...” (obrigado Rui Barbosa).