Ilhados, alunos não conseguem ir à escola

Estradas ruins e falta de transporte deixam dezenas de estudantes afastados das aulas

Cidades Em 23/03/2013 10:51:09

Crianças e adolescentes do Bairro Águas de Igaratá estão há mais de dez dias sem poder ir à escola por falta de transporte. Os ônibus que levam e trazem os estudantes não estão cumprindo o trajeto em razão das péssimas condições das estradas.

Ao passar pelo bairro durante um dia de chuva, o que mais se ouve são reclamações sobre as vias. Moradores ilhados não conseguem se locomover e se entristecem ao ver seus filhos perderem vários dias de aula.

Com as chuvas que assolam a região há semanas, as estradas rurais estão cada dia piores e em alguns pontos fica quase impossível trafegar. Em atenção à solicitação de moradores, o vereador Benjamin de Lima visitou o Bairro Águas de Igaratá na última quinta-feira, 21, e acompanhou de perto o problema enfrentado pela população.

Benjamin explica que o bairro possui uma área extensa e um condomínio em suas terras, porém o problema maior está fora da área particular, está nas estradas em que a prefeitura não realiza manutenção, sobretudo os topos de morro.

Indignados ao verem suas crianças e jovens prejudicados, privados dos estudos pela falta de transporte, os pais pedem uma solução urgente: “O ônibus escolar que deveria levar nossos filhos para as escolas da cidade não está circulando pelo bairro, ele vai só até o parquinho. Mas nós moramos cerca de seis quilômetros deste ponto, não dá para levar as crianças até lá a pé e assim elas ficam sem ir à escola”, conta José Estevão da Silva, pai de um menino de 15 anos. Segundo ele, se fosse para levar as crianças a pé até o parquinho teriam que acordar às 4h da manhã, sob chuva, andando pelo barro: “Não temos carro, não tem jeito de sair daqui sem transporte público”.

“Minha filha ligou na escola e eles disseram que não tem jeito, estão marcando as faltas, ela está preocupada em perder o ano por causa disso, ela não pode mais faltar”, diz Jair dos Santos.

Segundo os pais, outros veículos conseguem trafegar pelo bairro, como caminhões de materiais para construção e veículos de passeio: “A estrada está muito ruim, mas são alguns pequenos trechos que estão piores, se fizessem manutenção o ônibus conseguiria passar tranquilamente”, diz Enivaldo Ferreira Paiva

A pergunta que os moradores fazem é “por que a prefeitura não fez manutenção nas estradas evitando assim tamanho problema?”. Na sessão de Câmara de quarta-feira, dia 20, o vereador Gilmar Ap. Barbosa disse na tribuna que a prefeitura está esperando passar as chuvas para arrumar e colocar raspadinhas de asfalto nos piores trechos das estradas. Contudo, o vereador Benjamin de Lima afirmou que as solicitações de manutenção nas vias já vem de vários meses atrás, mas a falta de planejamento da prefeitura fez com que a situação chegasse ao ponto de prejudicar os estudantes.

“Meu filho já perdeu a esperança, está triste em estar afastado da escola”, conta José Estevão.

Os moradores afirmam que vão providenciar um abaixo assinado para ver se então a prefeitura toma providências: “Em época de campanha eles vem aqui nos visitar, fazem promessas, mas depois não se importam nem com a educação de nossos filhos”, lamenta Jair.

Outra preocupação em relação ao transporte é a precariedade dos ônibus que circulam no bairro. Segundo os pais, os veículos estão obsoletos, quebrados, com pneus carecas: “Os ônibus não tem condições de levar estudantes em segurança, é perigoso, estão em péssimas condições e faz tempo”, reclama.

Para o vereador Benjamim os cerca de 40 alunos que estudam na cidade estão contando com a sorte para que o tempo melhore, “caso contrário continuarão a ter seus estudos prejudicados já que foi afirmado que só após as chuvas a prefeitura fará manutenção. Todo ano o período de chuvas ocorre na mesma época ou estação, se houvesse planejamento esse transtorno não ocorreria”, diz Benjamin.

Moradores, como Rodolfo da Costa Paiva e José de Oliveira Xavier, contam que anos atrás o ônibus passava mesmo em condições metereológicas ruins porque vinha pelo acesso da rodovia passando por Jacareí, mas, segundo Benjamin, esta questão deve ser mais analisada, pois existe legislação sobre isso.

Edmilson Santos Barbosa conta que está levando e buscando todos os dias sua filha nas proximidades da Rodovia Dom Pedro I, para que ela possa pegar o ônibus e ir para a escola: “É um absurdo o que está acontecendo aqui, estamos abandonados e nossas crianças estão pagando caro por isto”, diz indignado.

Outros bairros sofrem com a falta de transporte escolar em período chuvoso, é o caso da Harmonia, Bonsucesso e Cruz Branca. De acordo com moradores, o ônibus não circula na região desde a última segunda-feira devido às condições das vias, e por isso os estudantes não conseguem ir à escola. 

Moradores do Parque Alpina encaminharam um abaixo assinado ao executivo pedindo melhorias nas estradas do bairro. Diversas indicações foram feitas pelos vereadores na última sessão de Câmara para manutenção nas estradas rurais do município. 

A assessoria de imprensa da prefeitura não informou como a administração pretende solucionar o problema, mas o vereador Gilmar Ap. Barbosa, líder do prefeito Elzo de Souza na Câmara Municipal, pediu que os moradores tenham paciência, citando ainda que no sábado,16, o vice prefeito Ary Fernandes pediu para arrumar a estrada do Bonsucesso, “mas a tarde choveu e nem tatu acorrentado passava”. Gilmar complementou o discurso dizendo que “parando a chuva a prefeitura vai realizar manutenção nas estradas rurais”.