Igaratá notifica Sabesp por má qualidade de estradas

Após embargo das obras empresa contratada para construção da interligação decide ampliar recuperação da estrada de acesso ao bairro da Boa Vista, estendendo até a ponte no acesso ao túnel.

Cidades Em 19/01/2018 19:15:10

O prefeito Celso Palau mandou sua assessoria jurídica notificar a Sabesp de que uma ação civil pública poderá ser ajuizada proibindo a emissão de licença de operação pela Cetesb embargando o funcionamento da  interligação da represa do Jaguari e Atibainha, caso as estradas do bairro da Água Branca e da Boa Vista não estejam de acordo com o compromisso assumido no início das obras.

O documento entregue essa semana à diretoria da Sabesp menciona que vistoria realizada pela Secretaria Municipal de Planejamento, obras e serviços constatou que as estradas estão em péssimo estado de conservação evidenciando que o trânsito de caminhões e maquinário pesado causou danos que prejudica o tráfego de carros de passeios de moradores e da população que se utiliza dessas estradas.

Um dos pontos mencionados na notificação é a estrada municipal Francisco Rodrigues de Oliveira (Chico Cunha), cujos trabalhos de recuperação estão embargados pela própria Prefeitura. Todo o leito da estrada foi destruído para a passagem da tubulação e, em outros trechos pelo tráfego de veículos e equipamentos pesados. No entanto, até o presente momento, não foi sequer protocolizado na Prefeitura o projeto de recuperação do trecho destruído. Inicialmente a empresa pretendia promover a recuperação somente até a Escola do bairro, mas diante do embargo decidiu estender o asfaltamento até a ponte que leva ao emboque do túnel de ligação com Nazaré Paulista.

Para o prefeito Celso Palau esse mês de janeiro ano está prenunciando os mesmo dissabores experimentados no ano passado quando, durante os dois primeiros meses do ano, o embate com as empresas encarregadas da construção da interligação foi objeto de duas notificações judiciais e uma interdição do canteiro de obras. – Tudo indica que teremos de agir da mesma forma, o descaso das empresas e da própria Sabesp para a com a população afetada pela obra é um desafio que temos de enfrentar. Mas, mesmo que as obras terminem a empresa não receberá licença de operação enquanto as estradas não estiverem de acordo com o interesse do município! Diz Palau.

Com o compromisso a empresa de promover o asfaltamento até a ponte, alongando em quase 500 metros de pavimentação a partir da Escola Dito Cunha, o prefeito Celso Palau decidiu revogar o embargo das obras.