Igaratá combate loteamento clandestino

Valetas estão sendo abertas para evitar tráfego de veículos

Cidades Em 20/09/2019 20:20:41

O pretexto é a abertura de ruas para o plantio de eucalipto. Semanas depois, em discretos anúncios nos jornais paulistanos, anúncios de lotes à venda em Igaratá, alguns com o irresistível apelo de propriedade às margens da represa.

Essa semana, incomodado com as notícias de loteamento clandestinos no município, o prefeito Celso Palau determinou que a secretaria de obras abrisse extensas valas interrompendo o tráfego de pelo menos em três estradas de acesso aos empreendimentos irregulares.

A decisão foi fruto da indiferença dos proprietários das áreas com relação aos embargos de terraplanagem e de suspensão das operações de venda. Em praticamente todas as estradas municipais foram instaladas placas advertindo que o parcelamento irregular de solo é crime, mas mesmo assim, em alguns lugares até mesmo construções de casas já haviam sido iniciadas. 

Palau reconhece que nem todas as pessoas associam “parcelamento de solo” com loteamento e acabam caindo nas mãos de pessoas inescrupulosas que, aproveitando a boa fé de outros vendem os terrenos, mas jamais darão escrituras ou as benfeitorias prometidas. – O mais triste é que as pessoas compram e mais tarde passam a depender da Prefeitura para manutenção de ruas, coleta de lixo, energia e iluminação pública e abastecimento de água, diz Palau acrescentando que a atual legislação impede até mesmo a distribuidora de energia a instalar eletricidade nos empreendimentos clandestinos.

Palau reconhece que a abertura de valas é uma medida extrema, mas diz que a única forma de alertar a população para a existência do empreendimento clandestino. – É impedindo o seu acesso aos terrenos”, conclui.