Festa da paz em Santa Isabel

Quatro noites de shows e grandes atrações no 24º Rodeio de Santa Isabel. Comparado ao ano passado, a PM registrou uma redução do público em cerca de 38%. E a segurança foi ponto alto da festa

Economia & Negócios Cidades Em 15/07/2016 17:23:09

 Reportagem: Érica Alcântara

 

 

Cerca de 24 mil pessoas segundo a Polícia Militar e 50 mil de acordo com os organizadores marcaram presença nas comemorações pelo 184º aniversário de Santa Isabel. Foram noites de frio aquecidas pela confraternização e com poucas ocorrências registradas, um sucesso de trabalho conjunto entre as equipes voltadas para garantir a segurança.

No sábado até houve o princípio de tumulto, mas a dupla Victor e Leo parou o show e pediu aos intempestivos para acabar com a confusão. O público composto por famílias inteiras - dos bebês menores de um ano, aos avós - apoiaram a dupla e num único grito pediram aos brigões para irem embora. Em poucos minutos a música voltou a ser o centro das atenções.

Domingo, 10, a solenidade cívica reuniu nos camarotes políticos e empresários, não houve entrada na arena, amazonas e cavaleiros desfilaram com as bandeiras do Brasil, do Estado e do Município, ao som do Hino Nacional. A noite terminou com o show de Maria Cecília e Rodolfo.

Além dos seguranças particulares, a presença da Polícia Militar e da Polícia Civil em áreas estratégicas garantiram uma festa com poucas ocorrências em meio à multidão.  Segundo o 1º Tenente da Polícia Militar de Santa Isabel, Ronildo Lopes Tenente Ronildo, uma pessoa alegou que foi dopada após aceitar bebidas de estranhos e acordou na UPA – Unidade de Pronto Atendimento sem documentos, celular e dinheiro. Houve um furto de bolsa, um de veículo no último dia e duas pessoas foram detidas: uma por passar notas de dinheiro falsas e outra por desacato e resistência. “Foi com certeza uma festa de paz”, diz Ronildo.

Nas barracas de entidades filantrópicas não se viu reclamações, muitos se surpreenderam com a venda de caldo, vinho quente e caldo de que quenga. “Vendemos tudo que trouxemos todas as noites”, contou André Falconi, presidente do Comtur Conselho Municipal de Turismo.

 

Os banheiros químicos instalados sobre a calçada inclinada causaram desconforto, principalmente quando começavam a escorrer pela rua o excesso de urina.