Febre maculosa faz sua primeira vítima em Santa Isabel

Conhecida popularmente como “Doença do Carrapato”, a febre maculosa está se aproximando da região: 4 pessoas já morreram em São José dos Campos e Santa Isabel registrou um óbito também em decorrência da doença: o de um cavalo, servindo de alerta para os seres humanos.

Saúde Em 21/09/2018 20:32:25

por Bruno Martins

Dores de cabeça, no corpo, manchas vermelhas que começam pelos pés e mãos e se estendem por toda a pele, estes são só alguns dos primeiros sinais e sintomas da febre maculosa. A doença transmitida por carrapatos senão tratada de maneira correta pode até matar. De acordo com dados do Ministério da Saúde em 18 meses, 81 pessoas morreram por febre maculosa no país. Em Santa Isabel um cavalo morreu na última semana também em decorrência da doença, segundo exames realizados por médicos veterinários.

Em todo o período de 2017, o Brasil registrou 165 casos confirmados de febre maculosa, além de 58 mortes pela doença. De janeiro a agosto deste ano 60 casos já foram confirmados da doença em todo o país. Na região a cidade mais próxima com registro de casos confirmados é São José dos Campos onde cerca de quatro pessoas já morreram em decorrência da doença, entre eles dois irmãos de 36 e 39 anos. O pai deles segue internado também em estado grave, após apresentar os mesmos sinais e sintomas da febre. 

No ser humano a febre é transmitida após contato direto da pele com o carrapato-estrela, transmissor da doença. O carrapato pode ser encontrado em cavalos, bois e capivaras.  

Com 13 anos “Halloween” era um cavalo da raça mangalarga. Pelas contas da ciência ainda viveria por mais 22 anos, mas na madrugada da última sexta-feira, 14/09, ele não resistiu à doença e morreu. Daniella Di PolSacchelli, 42, era a dona do cavalo. De acordo com ela, o animal estava passando mal na quarta-feira, 12/09, a família imediatamente chamou o veterinário. “Ele fez a coleta de sangue para exames e no mesmo dia já detectou a doença, aplicou medicação e até realizou uma transfusão de sangue, mas na madrugada de quinta para sexta Halloween não resistiu e morreu”, disse. 

Daniella tem um sítio no Bairro Funil, em Santa Isabel e de acordo com ela, não só sua propriedade, mas todas no entorno, estão infestadas por carrapatos: “Nenhum dos venenos que utilizamos foram suficientes para acabar com essa infestação. De acordo com o veterinário, eles só tendem a aumentar se o tempo seco se estender ainda mais”, ressaltou. 

Após a morte do cavalo, os moradores do bairro procuraram a zoonoses de Santa Isabel para comunicá-los sobre a infestação de carrapatos transmissores da febre maculosa na região. A princípio nenhum dos moradores apresentou sinais e sintomas da doença, mas Daniella se diz em alerta: “Depois que estive no meu sítio com minha família, voltamos para minha casa em São Paulo, cheio de picadas e com pequenos carrapatos no corpo. Minha sobrinha é alérgica e tivemos que inclusive levá-la ao médico”, disse. 

A prevenção à Febre Maculosa é a retirada do carrapato do corpo o mais rapidamente possível. No caso de contato em regiões infestadas de carrapato é recomendável o uso de camisas de mangas longas, preferencialmente de cor clara, uso de calças compridas com a parte inferior colocada por dentro das meias. Após o uso das roupas, colocá-las em água fervente para eliminação dos carrapatos. 

A febre maculosa é uma doença de comunicação compulsória, obriga o município a adotar procedimentos específicos que visam o rápido controle de eventos. Até o fechamento desta edição a Secretaria de Saúde não retornou os contatos feitos pela reportagem.