FALHAS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE

por LUIS CARLOS CORRÊA LEITE

Crônicas Em 13/09/2019 22:43:53

A matéria trazida neste jornal na última semana, motivada por discurso do vereador Márcio Pinho sobre o atendimento na área da saúde em Santa Isabel, demonstra que é necessário, sim, rever um modelo que já dura mais de vinte anos, com a instalação dos postos hoje denominados da Estratégia de Saúde da Família e Unidades Básicas de Saúde.

Segundo o relatado, a instituição responsável pelos 11 postos de saúde existentes - a Caminho de Damasco -atendeu 4.253 pessoas no mês de julho, enquanto que a UPA – Unidade de Pronto Atendimento, - administrada pela Santa Casa de Santa Isabel - atendeu 7.230 pessoas. A Caminho de Damasco, recebe 782 mil reais por mês e a UPA, 458 mil reais. 

Além disso, declarou ainda o vereador que viu “pilhas e pilhas de encaminhamentos feitos pela Caminho de Damasco para a UPA”, o que autoriza supor que no momento de tais encaminhamentos não havia médicos para atendimento nos postos de saúde. 

Pelo número de atendimentos realizados pela UPA verifica-se que estes somam 241 por dia, ou 120 para cada médico de plantão, eis que lá trabalham 2 médicos, em regime de plantão de 24 horas - que precisam parar para comer, ir ao banheiro e descansar (embora muitos não gostem que se fale disso...). Convenhamos que não há como fazer um atendimento com a qualidade desejável. 

Enquanto que nos postos de saúde (em número de 11, que atendem 20 dias por mês, com 20 médicos) temos 212 atendimentos por dia, ou 11 pessoas para cada médico. Além disso, pessoas são enviadas para serem atendidas na UPA, ou seja, cobra-se por um serviço não realizado. A diretora de saúde do Município diz que “a cada mês 3 unidades sob os cuidados da Caminho de Damasco são visitadas pela Secretaria da Saúde” para fiscalização.  Ou seja, 3 vezes por ano. Muito pouco. 

A matemática, como ciência auxiliar de todas as outras, não mente: algo está muito errado.Seria muito bom que a Câmara dos Vereadores, através de sua Comissão de Saúde, ou até mesmo por uma Comissão Especial, produzisse um relatório sobre a situação, não para prejudicar quem quer que seja, mas para ajudar na solução do problema.