Energia vai ficar mais cara

A partir da próxima segunda-feira (27) em mais de 200 cidades atendidas pela Elektro Eletricidade

Economia & Negócios Cidades Construção & CIA Em 23/08/2018 17:04:17

O aumento é de pouco mais de 23% para residências e comércio e de quase 27% para indústrias.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), pesaram no reajuste os preços nas usinas, o déficit da conta das bandeiras tarifárias e a alta do dólar. O reajuste da EDP, que atende a maioria das cidades do Alto Tietê, está marcado para outubro, ainda sem valor definido.

Uma pesquisa do Ibope mostra que o número de brasileiros preocupados com os custos de energia saltou de 67% para 83%. São pessoas que consideram muito cara a conta de luz.

Tarifa Vermelha

Desde junho o consumidor já está pagando tarifa vermelha nível dois, com valor mais alto na conta de luz. O sistema tarifário mais caro é acionado em momentos de escassez de geração por causa da redução do volume dos reservatórios das hidrelétricas e a previsão de poucas chuvas.

Escapar desse aumento é difícil. Atualmente, a energia elétrica está presente em quase tudo que fazemos: no banho, lavagem de roupas, preparo de alimentos. Com o custo na faixa mais cara, cada um tenta reduzir o consumo como pode. Mas essa é uma tarefa difícil, principalmente para locais que precisam da energia, mas são filantrópicos e não conseguem aumentar as arrecadações para se manter. Neste caso, cada detalhe pode fazer diferença no fim do mês.

“Temos nossas contas todas engessadas, com provisão de gastos certos. Quando vem um aumento que não estava contando, leva um susto porque não tem de onde tirar. Não posso deixar de dar banho, deixar de lavar as roupas e dar descargas”, explica a coordenadora de uma casa de repouso Irani Lima.

A dona de casa Maria de Fátima Mesquita Silva procura economizar em tempo integral. Ela usa e abusa da luz natural durante o dia e tem o costume de tirar da tomada alguns eletrônicos. Mesmo fazendo tudo isso e já pagando uma tarifa social, mais barata, a conta de luz vem puxada no fim do mês. “Chegou a vir conta de R$ 150. Mês passado veio R$ 105, mas se acender muito as luzes e abusar nas outras coisas, já aumenta.”

Outra forma de fazer economia de energia em casa é ficar atento à manutenção dos eletrodomésticos. Na geladeira, por exemplo, a atenção tem que ser para a borracha da porta. Dá pra fazer um teste simples e rápido: feche uma folha de papel na porta e com ela fechada tente tirar a folha. Se sair com facilidade está na hora de trocar.

O chuveiro realmente é o grande vilão, principalmente se tiver o tempo de uso prolongado. Outro é a geladeira. Nunca coloque alimentos quentes dentro da geladeira, nem deixe roupas secando atrás, pois isso faz com que o consumo aumente mais ainda.

O cálculo da bandeira tarifária é feito pelo Governo Federal. O operador nacional do sistema sinaliza para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que encaminha qual será a bandeira do mês para as concessionárias. Como nós estamos em um período seco, estamos na bandeira vermelha estágio dois, ou seja, a cada 100 quilowatts/hora consumidos há um custo adicional de cerca de R$ 5,00.

Fonte: Divulgação