Enchente: Temporal provoca alagamento em Santa Isabel e Arujá

A chuva de terça-feira, 14/03, alagou várias ruas de Arujá e Santa Isabel, casas foram tomadas pela lama, houve quedas de árvores e ribeirões transbordaram nos dois municípios

Segurança Pública Cidades Em 17/03/2017 19:39:36

Reportagem: Bruno Martins

 

A chuva de terça-feira, 14/03, elevou o nível do Ribeirão da Avenida Brasil até que a água lamacenta invadiu algumas casas, como a moradia da família de Silvia Antônia Marcolino, 47. A correnteza trouxe, além da água fétida, muito lixo, fezes, ratos e até cobras. Silvia e mais sete pessoas de sua família, vivem às margens do córrego, numa viela da Rua Padre Leônidas da Silva, Bairro Jd. Cruzeiro, em Santa Isabel. 

De acordo com a Prefeitura isabelense, na terça-feira choveu cerca de 59 milímetros (mm). As principais ruas da região central ficaram completamente alagadas. Bairros como Jd. Cruzeiro, Lanifício, Brotas e as avenidas Coronel Bertoldo, Manoel Ferraz de Campos Salles e República a altura da água chegou a cerca de um metro, conforme mostram as centenas de imagens que o Jornal Ouvidor recebeu através do WhatsApp (11) 9 8904-6228. 

No dia seguinte o que restou tanto para a Prefeitura, quanto para a família de Silvia foi limpar a sujeira trazida pela água. Dentre as ocorrências registradas pela Defesa Civil de Santa Isabel está a queda de árvores na Av. Guarulhos, Bairro Recanto Alpina e de grandes galhos no Bairro Lanifício, além do socorro que foi prestado junto a secretaria de Promoção e Assistência Social a família de Silvia. 

As filhas de Silvia e os netos de oito meses e um ano estão abrigados na casa do ex-vereador Orlando Paixão: “Ainda na terça-feira ele esteve aqui e nos ajudou. Meu marido e eu ficamos para limpar e tentar salvar o que sobrou”, disse. Segundo Silvia, a Defesa Civil informou que precisa interditar a sua residência, contudo ela faz questão de ficar: “Para onde nós vamos? Este terreno é da nossa família e não temos outro lugar”, diz.    

Mesmo perdendo colchões, roupas, móveis e até alimentos, Silvia diz que essa ainda não foi a pior chuva que enfrentou, em anos anteriores o volume de água foi ainda maior. Para ela e o marido Maurício Alexandre, 42, a causa das enchentes é a falta de limpeza do córrego: “Não só a nossa casa alagou, mas a dos nossos vizinhos também. Jogam colchões e sofás dentro do ribeirão isso contribui para esse desastre que acontece aqui todo o ano e quem paga somos nós”, diz Maurício.  

Vivendo o mesmo problema, o morador Diego Santos, também mora às margens do Ribeirão da Avenida Brasil e com um pino na perna teve que sozinho enfrentar a água que invadiu sua casa, para assim conseguir salvar os móveis e tudo o que estava próximo do chão. 

Até o fechamento desta edição a prefeitura de Santa Isabel não se manifestou sobre a limpeza do Ribeirão da Av. Brasil e o descarte dos móveis perdidos pela enchente, que hoje ocupam as calçadas da cidade.  

Chuva em Arujá 

A chuva em Arujá, alagou casas na Rua 23 do Bairro Pq. Rodrigo Barreto, o morador Alex Dantas Santos registrou pelo celular o momento em que sua casa foi invadida pelas águas do ribeirão que corta o Barreto e deságua no Bairro Fazenda Rincão: “Há mais de dez anos que vivemos este problema, o ribeirão nunca é limpo e com isso a passagem da água fica obstruída, só na minha rua tem mais de 30 famílias, todas elas sofrem com este mesmo problema”, diz. De acordo com ele, inúmeros barracos que estavam próximos ao córrego foram derrubados e as famílias abrigadas em apartamentos do CDHU, mas segundo Alex, todo o entulho foi deixado para trás e estão hoje contribuindo com a obstrução do ribeirão.   

No centro da cidade o nível do Rio Baquirivu subiu e trechos da Av. João Manoel ficaram completamente alagados, assim como parte da Praça do Coreto e da Av. dos Expedicionários. A Defesa Civil do município atendeu cinco casos entre eles enchente em residências, quedas de árvores. O Córrego Caputera, que corta Arujá e Itaquaquecetuba, transbordou e algumas empresas e moradias próximas a ele foram invadidas pela água.   

De acordo com o Clima Tempo em Arujá choveu cerca de 73mm, em Igaratá a chuva chegou a 21,4mm. No final de semana, o último do verão, o tempo fica instável com mais previsão de chuvas em São Paulo e que podem atingir, as cidades da região.    

 

Notícias Relacionadas