Empresário critica processo da Lei Específica

Funcionários da secretaria de Meio Ambiente de Santa Isabel estiveram presentes

Política Cidades Em 20/03/2020 23:57:38

O empresário isabelense Dario Arantes foi um dos representantes da cidade a comparecer na reunião dos técnicos da secretaria estadual do meio ambiente com representantes da CETESB (Companhia de Tecnologia Ambiental do Estado de São Paulo) e da Sabesp (Saneamento Básico do Estado de São Paulo), ocorrida em São José dos Campos no último dia 12.

O tema do encontro que contou com a presença de representantes de diversas cidades da bacia do Rio Jaguari tratou da Lei Específica, documento que há mais de cinco anos tramita em busca de subsídios que permitam adequar o seu impacto às necessidades regionais.

Tomando a palavra o Isabelense demonstrou toda a sua frustração ao admitir que há anos participa de reuniões com o mesmo objetivo sem contudo visualizar que um único passo tenha sido dado à frente: - É sempre o mesmo discurso, precisamos avaliar, mas não se acata nenhuma sugestão que, de fato, represente uma evolução nesse processo. Segundo ele, todas as audiências públicas exigidas por lei já foram realizadas, inúmeros órgãos consultados e manifestaram-se, mas as medidas restritivas que impedem o desenvolvimento regional continuam valendo.

No encontro a Sabesp apresentou a planilha de investimentos em Santa Isabel e em Igaratá garantindo que, a partir de agosto desse ano a empresa estará dando início às obras da compensação ambiental cujas licitações já foram realizadas. Com relação a Santa Isabel, a Sabesp informou que estão em execução as obras de ampliação do reservatório do Jardim Eldorado e da Vila Guilherme além da montagem do escopo do sistema de esgoto sanitário, com o planejamento dos coletores tronco 1 e 2 do Araraquara, elevatório de esgoto do Santa Teresa, interligações e urbanização da Estação de Tratamento de Esgoto.

Aproveitando a presença dos técnicos, Dario solicitou que a Sabesp estude a ampliação da rede de abastecimento até a estrada do Itapeti, onde industrias e residências familiares não possuem água de qualidade.

Ao final foi anunciado que até dezembro de 2020 o projeto da lei Específica do jaguari será encaminhada para votação na Assembléia Legislativa do Estado.