Educação sem teto

Pais temem os problemas de saúde provocados pela realização de atividades físicas com exposição ao sol

Educação Em 02/11/2017 18:45:34

Os pais e responsáveis pelas crianças e adolescentes que estudam na Escola Estadual Washington Luiz Pereira de Souza, em Arujá, reclamam que a quadra poliesportiva, onde são realizadas as aulas de educação física, não há cobertura e todos ficam expostos ao sol e as intempéries do tempo. 

“Nem todo mundo pode comprar protetor solar, alguns jovens nem lembram que isso existe. Nossa preocupação é com as queimaduras, insolação, desidratação e até um câncer de pele provocado pela exposição excessiva aos raios solares”, diz a mãe M.S..

Segundo funcionários da escola, há meses a unidade de ensino enviou para a Diretoria de Ensino de Jacareí um projeto para a construção da cobertura da quadra, mas até o momento não obtiveram retorno.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Educação, a E.E. Washington Luiz é a primeira unidade estadual da cidade, “o imóvel é muito antigo e o terreno não comporta a construção de uma cobertura na quadra. Os muros são colados com a rua”, explica.

A assessoria ressalta que a escola recebeu em 2015 uma reforma no prédio no valor de R$161.192,95, na ocasião construíram um muro em volta da quadra, substituíram a tela do alambrado e instalaram grades de proteção. “Em 2016 a escola recebeu mais de R$42 mil em repasses para sua manutenção”, finaliza.