Editor do Ouvidor é mediador em debate jurídico

XVI Semana Jurídica do Curso de Direito da Universidade Brás Cubas debate a influência da imprensa nas decisões do judiciário, entre outros temas

Educação Cidades Segurança Pública Em 27/10/2016 18:46:47

 

O jornalista Roberto Drumond Mello Silva, editor do Jornal Ouvidor, foi convidado pela organização da XVI Semana Jurídica do Curso de Direito da Universidade Brás Cubas, de Mogi das Cruzes, para mediar um debate sobre a Influência da Imprensa e Mídias Sociais nas decisões do Judiciário.

Diante de mais de 500 estudantes e professores reunidos no auditório do CEMFORP (Centro Municipal de Formação Pedagógica) o Jornalista dirigiu os debates entre Dr. Marcos Batalha, delegado seccional de polícia de Mogi das Cruzes; Dr. Marcelo Inocêncio, presidente da subsecção da OAB; Dr. Bruno Miano, Juiz da Vara da Fazenda;  Dr. Eduardo Calvert, do Juizado Especial Cível e Criminal;  Dr. Daniel Guimarães, do Tribunal Regional do Trabalho e da Professora Lucimar Gonçalves colocando o tema depois de narrar a condenação pública do casal Nardoni, condenados pela opinião pública antes mesmo da conclusão do inquérito. Citou ainda outros fatos que se tornaram emblemáticos, como a Escola de Base, em São Paulo, que foi destruída sem ter sido jamais comprovado qualquer crime cometido por seus proprietários e dirigentes.

Todos os participantes da mesa concordaram com o tema dissertando, cada um sob o seu ponto de vista, a realidade de que a imprensa continua sendo um elemento capaz de provocar a comoção social de modo a influenciar no julgamento. Citaram também as redes sociais e os diversos modelos de jornalismo praticado no mundo, lembrando as inúmeras tonalidades que caracterizam o compromisso dos veículos com a verdade.

Para exemplificar a atuação da imprensa com a justiça o juiz Dr. Bruno Miano citou o uso da imprensa feito pelo Juiz Dr. Sérgio Moro ao divulgar o diálogo da então presidente Dilma Houssef com o ex-presidente Lula, impedindo a sua nomeação como ministro, o que inviabilizaria a investigação de seu envolvimento com os crimes denunciados pela Lava Jato.

Ao final, os debatedores concluíram que a imprensa no Brasil, essencial ao estado de Direito, tem prestado relevantes serviços à sociedade, mas precisa como o próprio povo brasileiro, do amadurecimento necessário à plena prática democrática.