Economia com folha de pagamento e serviços da Prefeitura de Suzano pode chegar a R$ 2 milhões em um ano

Um dos alvos é o salários de servidores comissionados

Política Cidades Em 14/03/2017 10:12:58

Assessoria de Imprensa Prefeitura de Suzano

 

Ação conjunta das Secretarias Municipais de Administração e de Planejamento e Finanças tem como alvo salários de servidores comissionados, liberação de horas extras e consumo de água, de energia elétrica e Internet; entrega de prédios alugados representa alívio de R$ 1,3 milhão, por mês

As Secretarias de Administração e de Planejamento e Finanças da Prefeitura de Suzano-SP acreditam que o trabalho de contenção financeira desenvolvido pela administração municipal nos primeiros 70 dias da nova gestão já está oferecendo resultados satisfatórios na seara econômica. Segundo os chefes das pastas, Cintia Renata Lira da Silva e Itamar Viana, respectivamente, com as medidas determinadas pelo prefeito Rodrigo Ashiuchi houve alívio aos cofres públicos, tanto no pagamento da folha salarial quanto no consumo da máquina, que poderão superar, num ano, a marca de R$ 2 milhões.

De acordo com Cintia, a economia com a folha de pagamento dos funcionários comissionados (confiança) será de R$ 324 mil para os próximos 12 meses - uma economia de R$ 27 mil mensais em relação à folha salarial da gestão anterior (2013/2016). A secretária municipal lembra, ainda, que isso só foi possível graças à redução dos proventos de todos os cargos de comissão e à criação do cargo diretor-III - intermediário entre assessor-I e diretor-II, sendo um elo entre os secretários municipais e subordinados.

Outro recurso utilizado pela Prefeitura de Suzano que gerou economia nas contas públicas locais foi o controle no consumo de serviços como água, energia elétrica, telefone e Internet. Uma ação conjunta entre as pastas combateu, por exemplo, o desperdício de água ocasionado por vazamentos. Além disso, houve readequação das contas, permitindo uma projeção de gastos com o recurso hídrico. A expectativa é que a redução com o consumo de água seja de R$ 654 mil nos próximos 12 meses.

A moderação com horas extras também é expressiva, conforme reitera a secretária de Administração da Prefeitura de Suzano. Em levantamento apresentado pela pasta nesta segunda-feira (13 de março), os gastos caíram de R$ 1.000.671,26 (dezembro de 2016) para R$ 236.135,80 (fevereiro de 2017):

“Todas as Secretarias Municipais da Prefeitura de Suzano se esmeraram para reduzir as horas extras. Algumas apresentaram resultados muito satisfatórios. Nestes primeiros 70 dias de novo governo, conseguimos uma façanha no que tange economizar, mas ainda há muito trabalho a ser feito. Vale ressaltar, no entanto, que os serviços prestados pela municipalidade não sofreram prejuízo em razão da redução de horas extras dos servidores”, observa Cintia.

O chefe da Secretaria de Planejamento e Finanças acredita que outra iniciativa que auxiliou no contingenciamento de gastos da Prefeitura de Suzano foi a renegociação da ocupação de imóveis alugados por parte das pastas e diretorias municipais. Segundo Viana, a utilização de prédios públicos (como o Paço Municipal e o Centro Unificado de Serviços) fez com que os gastos com locação fossem reduzidos em R$ 1,3 milhão/mês.