Cratera coloca família em risco

Até a rua apresenta sinais de afundamento, moradores temem que podem abrir novas crateras com o trânsito de veículos pesados no local

Cidades Em 29/11/2019 22:28:45

por Érica Alcântara

 

No dia 24/11, domingo, Rafael de Souza estava ao lado do seu carro, na garagem da casa de sua sogra, quando um barulho estranho fez ele correr para um local mais seguro. Seu veículo foi literalmente engolido por uma cratera que se abriu no piso da residência, localizada na Rua Padre Leônidas da Silva, 190.

Segundo Rafael, existe um desvio da rede pluvial que atravessa subterraneamente a propriedade particular e, no passado, a Prefeitura Municipal executou serviços de reparo, mas dessa vez se recusa a se responsabilizar pelo problema. 

“É a terceira vez que a cratera aparece, só que dessa vez meu carro afundou junto. Por sorte meu filho não estava aqui, como ele costuma ficar. Agora até a rua está oca, para retirar meu carro do buraco, o caminhão munk estacionou do outro lado da rua com medo de afundar mais a via pública”, descreve o Cidadão notoriamente indignado.

Com a chuva, Rafael teme que a cratera aumente e comprometa ainda mais a moradia. E a indignação aumenta pelas falhas que ele aponta no atendimento: “Eu sei que a casa é particular, mas o problema é de origem pública. E ninguém da secretaria de serviços ou da ouvidoria me retorna com um parecer do que será feito para resolver o problema, é a indiferença que gera mais revolta”, lastimou.

O secretário de Serviços Municipais, Rodrigo Butterby, disse que a proprietária do imóvel construiu um cômodo em cima da galeria. “No passado já tinha ocorrido um problema e nós espalhamos a terra. Também aconteceu vazamento da Sabesp que foi lá e arrumou o problema. Agora não sabemos a origem do desmoronamento e possivelmente será necessário elaborar um laudo para verificar o que está acontecendo”, disse Butterby.

O secretário de Obras e Planejamento, Marquinhos Pelican, disse que há relatos de que uma cratera similar ocorreu no mesmo local em 2017, mas não foi encontrada documentação que relate a situação. “Então a origem do problema ainda é desconhecida”, disse.

Segundo informações, a Defesa Civil esteve na residência e interditou somente o cômodo em cima da rede pluvial. 

Embora a rua apresente afundamento do asfalto, a secretaria de Trânsito não informou se a rua precisará ser interditada para circulação de veículos pesados.

Sabesp 

Não foi vazamento na rede de abastecimento de água. A Sabesp informa que esteve no local e constatou que a redes da Companhia estão funcionando adequadamente e dentro da normalidade.