Corrupção

por Luis Carlos Corrêa Leite

Colunas & Opiniões Em 21/12/2018 17:40:37

 

Sem dúvida, o combate à corrupção na administração pública foi, como nos anos anteriores, o destaque no noticiário nacional. Além de ter sido também a viga mestra do debate eleitoral. 

Mas o espantoso no quadro trazido pelo noticiário é a demonstração de que a corrupção, em todos os níveis de governo – envolvendo prefeitos, vereadores, deputados, senadores e até mesmo o executivo federal -, deixou de ser aquela atitude isolada, em que determinado agente praticava furtivamente atos ilícitos, para se transformar em ações próprias de verdadeiras organizações criminosas, todas seguindo o mesmo modo de ação.

E o que é pior: tais sistemas passaram a cooptar não só as máquinas administrativas – quase sempre através dos chamados “cargos em comissão” -, como também órgãos que deveriam servir como fiscalizadores do interesse público. Apenas como exemplo, numa cidade do interior de São Paulo verificou-se que, dos vinte e três vereadores que compõem a câmara municipal, vinte e dois estariam envolvidos em atos de corrupção, especialmente pelo recebimento do chamado “mensalão”, ou seja, uma propina mensal custeada obviamente com recursos criminosos. Tais pagamentos são feitos com o objetivo de manter os legisladores com o “rabo preso”.

E os valores que transitam por tais “esquemas” não são desprezíveis: somente no guarda roupa de um prefeito foi encontrada a bagatela de quatro milhões de reais em dinheiro. Em outros municípios, constata-se o enriquecimento repentino de políticos de todos os níveis, a exemplo da “prefeita ostentação” do miserável estado do Maranhão. Ou a ex-prefeita da prestigiada cidade paulista de Ribeirão Preto, envolvida em negociata de também milhões de reais. Essa gozando hoje, e por muito mais anos, do merecido descanso no presídio de Tremembé. 

Diante de tal quadro, a única saída será o povo. Somente a mobilização popular, a utilização dos instrumentos jurídicos punitivos – o que já vem sendo feito com brilho pelos Ministérios Públicos de todo o Brasil – poderá sufocar esse tipo de crime contra as gerações futuras.