Corrida Movimenta Igaratá

Nas primeiras horas da manhã de domingo passado (24/03) extensas filas de carros e ônibus engarrafaram a rodovia D. Pedro I e a estrada Joaquim Simão em todos os sentidos. Veículos vindos de Jacareí e São José dos Campos, de Campinas de Santa Isabel e São Paulo disputavam o acesso a Igaratá.

Esportes Em 29/03/2019 22:54:51

Nas primeiras horas da manhã de domingo passado (24/03) extensas filas de carros e ônibus engarrafaram a rodovia D. Pedro I e a estrada Joaquim Simão em todos os sentidos. Veículos vindos de Jacareí e São José dos Campos, de Campinas de Santa Isabel e São Paulo disputavam o acesso a Igaratá.

Aos poucos as áreas reservadas para estacionamento na região da creche do Jd. Rosa Helena ficaram lotadas com mais de 1500 veículos. Ruas do bairro ficaram entupidas de ônibus e o centro da cidade, do cemitério até a Igreja matriz, era difícil encontrar vagas. Em torno do campo, no acesso à estrada do Bonsucesso, foram ocupados por carros de todo o Brasil. Foram mais de 6200 atletas que chegaram à cidade para a prova de montanhas mais famosa do país: a IGT 23k.

O centro do estádio municipal de futebol ficou parecendo uma salada colorida de músculos e formas. Eram atletas de todas as idades, sexos, tamanhos que se inscreveram para os dois roteiros da corrida: 23 e 10 quilômetros. Gente do Sul do país, de Minas Gerais, Rio de Janeiro, de diversas cidades do estado de São Paulo, a maioria atletas amadores se divertindo na corrida que percorre um dos cenários mais bonitos do lado paulista da serra da Mantiqueira, onde morros e matas se sucedem com a represa deixando o ar limpo e perfumado.

Da largada à chegada no final da prova o que se viu foi a expressão de alegria dos participantes indiferentes ao momento da conclusão da prova. Valeu a participação. Veja a classificação dos atletas de Igaratá:

23k Masculino – Amauri Henrique de Souza jesus (2,0507); Sandro de Jesus da Silva (2.542); Oisin Branagan (2,17) Feminino – Rosseline Christine Prianti da Silva (2,30); Edna Maria Augusto (2,43); Michelle Ap. de Oliveira (2,45).

10k Masculino – Admilton Teixeira da Silva (37,50); Moisés Rodrigues Gomes (38,34); David Felix da Silva (38,42). Feminino- Thais de Toledo Bezerra Reis (55,25); Renata Luzia Castilho Teodora (58,22); Vitória Luzia Castilho Teodoro (58,23).

Se a rotina do transito de Igaratá mudou com a realização do evento, o comércio também refletiu essa alteração. Segundo Marcelo, do bar e restaurante Corote, um dos poucos que se manteve aberto, o movimento superou em 50% o número de refeições servidas nos domingos normais. O mesmo se observou na Padaria Prianti, a mais antiga da cidade. Até mesmo o Posto de Saúde sentiu o reflexo do movimento. O secretário de saúde, Fábio Carvalho destaca que diante da rotina dos domingos, o PS teve um aumento de 31% em seus atendimentos e aproveita para registrar que, em números absolutos, foram apenas 10 pessoas que procuraram o atendimento médico o que atesta a tranqüilidade do município mesmo nos momentos de intensa movimentação.

Mas o maior movimento ocorreu nos hotéis e pousadas. Muitos atletas optaram por se hospedar em Nazaré Paulista, Jacareí ou Santa Isabel por falta de vagas nas pousadas locais. O prefeito Celso Palau reconhece que a corrida representa atualmente o maior meio de divulgação de Igaratá e assegura que, no próximo ano será necessária uma operação ainda maior para atender essa demanda de atletas. – Se de 2018 para 2019 houve um crescimento de público da ordem de quase 100% é de se estimar que em 2020 serão pelo menos 8.600 atletas transformando Igaratá na capital das corridas de montanha!