Consórcio inicia recuperação de estradas

Palau vistoriou todos os 14 km das estradas vicinais onde as obras de interligação estão sendo realizadas

Construção & CIA Cidades Em 10/02/2017 20:13:18

 

Na última quarta-feira uma comitiva da Prefeitura de Igaratá, composta por vereadores e um representante dos moradores do Bairro da Água Branca, vistoriou as obras de recuperação das estradas vicinais onde o Consórcio Serveng está instalando os tubos da interligação entre as represas do Jaguari e Atibainha.

Por determinação da CETESB e da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, a adutora deve passar pelo leito das estradas vicinais que cortam a zona rural de Santa Isabel, Igaratá e Nazaré Paulista, protegendo a cobertura vegetal das margens. Contudo, esta medida sacrifica a população que reside nas proximidades.

Com as fortes chuvas do mês passado, cerca de 40 famílias se viram impedidas de sair ou entrar em suas residências levando uma dezena de pessoas residentes nas imediações a interromper o tráfego dos veículos empregados na obra que se estende por 14,2 km entre os municípios.

O prefeito Celso Palau acompanhado pelo secretário municipal de meio ambiente, o eng. agrônomo Juarez Vasconcelos e do vereador Jair Rufino se encontrou nas primeiras horas da manhã com o representante dos moradores, Valdir Pitondo, e ao lado dos engenheiros da Sabesp e do Consórcio percorreram toda a extensão da interligação avaliando o compromisso feito anteriormente de recuperar os trechos mais críticos da estrada.

A dúvida era se a manta de “bidin” (tecido não trançado de polietileno utilizado na filtragem da água das enxurradas) deveria ficar por baixo ou por cima das pedras colocadas na drenagem dos trechos inundáveis. – Na verdade a manta deve envelopar as pedras, explicou o engenheiro Reinaldo Maluf, diretor da empresa. - Mas aqui elas estão rompidas, destacou Valdir bem defronte ao acesso à sua residência, e completou: - Eles passaram a máquina por cima rasgando tudo! Ainda jogaram o barro por cima.

A crítica do morador centrou mais no horário em que os funcionários do Consórcio trabalharam na área do que, objetivamente, no estado da estrada: Ficaram aqui até às onze horas da noite, contou ele destacando que embora o trabalho tenha sido feito estava, aparentemente, ineficiente. – Precisamos voltar aqui em um dia de chuva! Ver como a estrada vai se comportar, disse ele reconhecendo que uma atitude foi tomada.

O engenheiro agrônomo Juarez Vasconcelos apontou outro problema: - Parte do leito carroçável esta em nível mais baixo do que as margens, é claro que a água e a lama vão ficar na pista de tráfego!

A comitiva percorreu todo o trecho das obras constatando que em alguns locais o estado crítico estava resolvido. – Precisamos resolver toda a estrada e garantir segurança de tráfego em toda a sua extensão em qualquer condição de clima, observou o prefeito Celso Palau e aproveitou o encontro para cobrar dos representantes do Consórcio as obras pactuadas na melhoria de trechos das estradas alternativas às que estão em obras.

Uma das estradas alternativas liga o Jardim Panorama à estrada da Boa Vista, paralela a D. Pedro I que pode ser utilizada para desviar o tráfego do acesso asfaltado ao bairro por onde vai passar a adutora exigindo, durante as obras, a mão única.