Conselho aprova CRESAMU

Após três reuniões seguidas de discussões sobre mudanças na regulação do SAMU em Santa Isabel, Conselho aprova adesão a Consórcio no valor de R$94 mil/mês e SAMU será regulado por Mogi das Cruzes

Trânsito Saúde Cidades Em 16/06/2017 19:33:25

Reportagem: Bruno Martins

 

Por dez votos a um o Conselho Municipal de Saúde de Santa Isabel aprovou em reunião extraordinária ocorrida na segunda-feira, 12/06, a oficialização do contrato entre prefeitura e o Consórcio Regional do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (CRESAMU) que regulará os atendimentos móveis de urgência e emergência na cidade. A partir de agora a Prefeitura terá cerca de 90 dias para passar, definitivamente, a regulação de Guarulhos para Mogi das Cruzes, mas antes o contrato será analisado pela Câmara Municipal. 

Numa reunião que contou com a presença da prefeita Fábia Porto e da secretária de Gabinete, Ângela Sanches o Conselho decidiu dar voto de confiança e passar a regulação do SAMU de Santa Isabel para o CRESAMU em Mogi das Cruzes. O serviço ficou cerca de 11 anos sob responsabilidade de Guarulhos, mas segundo o secretário de Saúde, José Heleno Pinto e a Prefeita a mudança se fez necessária principalmente pela falta de investimento e ajuda da cidade vizinha a Santa Isabel. 

Fábia e Heleno aproveitaram a reunião para contestar as afirmações de Guarulhos divulgadas na semana passada em reportagem do Jornal Ouvidor. Eles destacaram que procuraram a secretaria de Saúde guarulhense e o próprio prefeito Guti, para pedir mais apoio e auxílio na manutenção do SAMU em Santa Isabel: “Porém não fomos sequer atendidos, todas as reuniões que tentávamos marcar nunca eram agendadas. É fácil dizer agora que não os procuramos. Em todas as reuniões regionais da rede de urgência e emergência Guarulhos nunca se dispôs a ouvir nossos apontamentos e necessidades”, disse Heleno. 

Fábia confirmou que Guarulhos a procurou em março deste ano para se colocar à disposição, mas ainda na semana passada, o secretário saúde do município vizinho a recomendou mudar de regulação. “Ele me disse que Guarulhos não pode oferecer a Santa Isabel a mesma infraestrutura que Mogi das Cruzes dispõe e é melhor a cidade aderir definitivamente ao consórcio”. 

Após duas horas de explanação sobre o CRESAMU o Conselho colocou a pauta em votação. Foram dez votos a favor, com ressalvas de que os conselheiros possam acompanhar as mudanças no setor e na grade de atendimento do SAMU, antes da adesão definitiva do contrato. O único conselheiro a votar contrário a adesão foi Geraldo de Souza, alegando que faltava a Secretaria apresentar documentos que comprovassem as afirmações do secretário Heleno e da Prefeita Fábia, de que Guarulhos não tem condições de manter o SAMU de Santa Isabel: “Penso que precisávamos discutir este assunto em mais uma reunião, antes de deliberarmos sobre ele. Por que não trazer Guarulhos aqui para que eles digam se podem ou não continuar a regular o SAMU na nossa cidade? É fácil dizer que eles não querem quando não há nada que prove que eles foram procurados”, disse. 

Atuais socorristas deverão ser aproveitados no CRESAMU

Fábia ressaltou durante a reunião que propôs como condição para aderir ao consórcio que o CRESAMU aproveite parte dos socorristas que já atuam na cidade: “Embora tenhamos 17 funcionários hoje no SAMU, pelo menos metade destes poderão continuar em suas atividades, se assim desejarem. Ao invés de contratarem novos socorristas queremos que aproveitem os atuais”, disse a Prefeita. Com essa proposta, Fábia explicou que a secretaria de Saúde irá pagar o salário dos socorristas e o valor referente à folha de pagamento será devolvido pelo CRESAMU aos cofres públicos isabelenses. O Consórcio custará mensalmente a Secretaria de Saúde R$94.195,36.

Nenhum socorrista do SAMU compareceu à reunião.