CONDEMAT pede avanço para fase amarela

Governo de São Paulo anuncia nova etapa da quarentena e expõe divergência de dados

Cidades Em 26/06/2020 23:29:05

No final da tarde de ontem, 26/06, a direção do CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê se reuniu para debater a nova etapa da quarentena proposta pelo Governo do Estado de São Paulo que vai até dia 14 de julho.

A preocupação dos prefeitos do Alto Tietê, além do aumento das taxas de contaminação, é com o impacto econômico causado pelo avanço da flexibilização na Capital. “Solicitamos uma reunião com o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, para esclarecer quais são os critérios decisivos nestas reclassificações”, adiantou o presidente do CONDEMAT, prefeito Adriano Leite.

Para a direção do CONDEMAT, os indicadores da região apontam que há condições para avançar para a fase amarela, a exemplo da Capital. E o fato de bares, restaurantes e salões serem liberados em São Paulo inevitavelmente atrairá moradores do Alto Tietê, o que prejudicará ainda mais a economia local e aumentará o risco de transmissão da doença.

A divergência dos dados do Estado e dos municípios é um dos pontos que voltam a ser questionados pelo CONDEMAT, bem como a comparação entre a capital e a região. São Paulo, que avançou para a fase amarela, tem 55,4 mortes para cada 100 mil habitantes e o Alto Tietê tem 40,6.

Oficialmente, desde o último dia 15 o Alto Tietê está na fase laranja do Plano SP, que permite o funcionamento do comércio de rua, shoppings e serviços. Embora essa etapa estabeleça quatro horas diárias para esses setores, a maioria das cidades autorizou o funcionamento por seis horas – as exceções são Mogi das Cruzes e Santa Isabel que, por determinação do Ministério Público, tiveram de atender o previsto no decreto estadual.