Comtur aprova construção de palco na Praça

A decisão surgiu em complementação ao projeto de sinalização dos locais de interesse turístico de Igaratá que deve ter o seu custo muito abaixo das verbas destinadas ao município nesse ano pelo programa do MIT (Município de Interesse Turístico).

Cidades Em 18/05/2018 19:46:55

Em sua 14ª reunião o Conselho Municipal de Turismo de Igaratá (Comtur) decidiu, por unanimidade, a construção de uma “Concha Acústica” ou “Palco” na praça 30 de dezembro de modo a permitir a realização de eventos sem a despesa de locação. A medida pode resultar numa economia anual estimada em mais de R$60.000,00 além de estimular o desenvolvimento de todas as artes no município.

A decisão surgiu em complementação ao projeto de sinalização dos locais de interesse turístico de Igaratá que deve ter o seu custo muito abaixo das verbas destinadas ao município nesse ano pelo programa do MIT (Município de Interesse Turístico).

A reunião ordinária ocorrida na última terça-feira (15/05) contou com a presença de 12 conselheiros, dois secretários municipais, foi presidida por Thiago Lima representante da sociedade civil. Thiago apresentou o relatório da comissão que desenvolveu o anteprojeto da sinalização afirmando que foram definidas a colocação de sete placas na região central da cidade e quarenta, nas áreas rurais, todas de acordo com a legislação pertinente.

Segundo o conselheiro Homero Vallone (representante da secretaria municipal da cultura), o projeto deverá ser apresentado ao setor responsável por orientação e controle da secretaria estadual do turismo até o início do mês de junho de modo a assegurar o recurso financeiro desse ano antes do início do período eleitoral: “perder o prazo significa perder o dinheiro desse ano, e o recurso não é cumulativo, não soma aos investimentos do próximo ano”, explicou. O secretário de obras, Rodrigo Camargo Vieira, detalhou o caminho a ser percorrido por ambos os projetos que, por sugestão dos próprios conselheiros deverão ser denominados como “Fase 1” de modo a permitir novos investimentos na mesma áreas nos próximos anos.

Com relação ao projeto de construção do palco (ou concha acústica), dependendo apenas das condições arquitetônicas no local, concluiu-se que deverá ser construído, no nível da avenida Francisco Lourenço, banheiros com acessibilidade e, na parte superior o palco e camarins aproveitando a área que atualmente tem baixa ocupação.

Para o secretário Benjamim de Lima, de esportes, turismo e desenvolvimento, a preocupação deve ser com relação à ocupação do local por pessoas em situação de rua: “ mas esse preço deverá ser pago com a vigilância rigorosa, porque o benefício para a população será recompensado” concluiu.