Como deve ser

por Roberto Drumond

Crônicas Em 07/12/2018 22:13:27

A inauguração da nova Unidade Mista de Saúde que ocorrerá no próximo sábado, em Igaratá, é a realização de como deveriam ser todas as entregas de bens públicos nos municípios. Como tem sido praxe na administração do prefeito Celso Palau, ele está convocando ex-prefeitos, vereadores e lideranças políticas independentemente dos partidos a que são filiados.

Particularmente ele se orgulha de poder figurar na placa inaugural como o prefeito da vez, mas ele reconhece que toda conquista é antes de tudo uma conquista do povo, fruto do esforço individual de cada um que, em algum momento tenha empunhado a caneta para dar o início a qualquer obra.

Como as dívidas dos municípios, a obras e os seus resultados permanecem ao longo de várias gestões independentes dos partidos políticos dos governantes. Cabe a cada um deles, a seu tempo, dar segmento, melhorando e oferecendo aos cidadãos o que de melhor pode fazer uma administração pública. Governar acreditando que as ações serão eternas é desconhecer o que houve no passado.

Na jovem Igaratá implantada a partir de 1969 diversas obras foram erguidas por diversos prefeitos e muitas delas já desapareceram, dando lugar a outras, assinadas por outros administradores que também já passaram na sucessão inexorável da história.

No próximo dia 15, quando Palau descerrar à placa alusiva a inauguração da Unidade Mista de Saúde estará gravando o seu nome como, no passado, governadores gravaram seus nomes em pontes, estátuas, estádios, palácios e hospitais. Diferente de outras cerimonias cujo passado foi esquecido, nesta data o Prefeito aparentemente quer unir todos à frente do bem comum.

Estamos no meio do mandato dos atuais prefeitos. Diz a sabedoria popular que nessa virada de ano os prefeitos eleitos em 2016 começam a jornada em direção à saída de sua governança. A seus eleitores cabe avaliar se, até agora, valeu à pena ter depositado o voto que conduziu os atuais titulares às prefeituras. Não se pode fazer isso, entretanto, sem considerar o amargo período vivido pelo país nos últimos anos. Como as obras, a vida dos municípios, dos estados e do país é resultado de muitos anos anteriores às eleições e somente criando a consciência dessa verdade é que conseguiremos mudar os rumos de nossa história.

A bíblia ensina que casa dividida não prospera. É a união que permite o crescimento e a harmonia dentro de um país, de um estado, de um município. É preciso que, despindo das vaidades comuns aos políticos, todos se unam em busca de realizações que contribuam com o pleno desenvolvimento do lugar onde vivemos, dando a cada um, a cidade que todos merecemos.