Coagidos, artistas recorrem a ajuda do legislativo

Política Cultura Educação Em 13/09/2013 11:47:11

Reportagem: Érica Alcântara

 

Na segunda-feira, 09, o vereador Clebão do Posto esteve em São Vicente na sede da Associação dos Artistas, entidade que, através de convênio firmado com a Prefeitura da Santa Isabel é responsável pela administração das aulas de música e de arte na Escola Elias Mineiro e pela Banda Municipal. 

Ao final de seis meses de trabalho a associação terá recebido dos cofres públicos isabelenses  R$214.935,00 pelos três projetos. “Recebi reclamações dos professores destes cursos, que estão com medo do representante da Associação, João Batista C. da Costa, que é muito agressivo verbalmente/ moralmente e os ameaça constantemente de demissão. Não posso admitir que maltratem nossos artistas”, diz Clebão.

O dirigente da Associação dos Artistas, Carlos Eduardo Catalan, mais conhecido como Cadu, disse que estava surpreso com a reclamação e garantiu que advertiria o produtor João Batista, mais conhecido como Jony, “que não é associado”, explica, advertindo que: “se for necessário substituí-lo, a associação vai suspender o convênio com a Prefeitura por um mês e neste período os professores ficarão sem receber”.

Indignado, Clebão destacou para Cadu que a maioria dos cursos existentes hoje na “Cultura são ofertados por profissionais que já se dedicavam a Santa Isabel, muito antes da associação de São Vicente aparecer com uma proposta”. “Nós só queremos que a associação cumpra o contrato porque recebe bem para isso e que respeite nossos artistas”, explicou Clebão cordialmente. Cadu se propôs a então visitar Santa Isabel na próxima quarta-feira para conhecer o trabalho realizado no município, “confiamos no Jony que, como outros produtores culturais, procuram a associação para realizar seus projetos através de nós, mas não podemos permitir que ele manche o nome da nossa entidade. Uma reunião na próxima semana nos dará tempo suficiente para verificar os problemas e propor soluções”, destacou.

A secretária de Cultura garante que não sabia do problema e que, após o contato da reportagem, conversou com João Batista e já resolveu a questão: “Jony fica”.