Audiência da Saúde mostra investimentos dos últimos quatro meses

Economia & Negócios Saúde Em 28/09/2013 01:37:02

Reportagem: Assessoria de Imprensa da Câmara de Arujá

 

Na audiência pública de prestação de contas 2º Quadrimestre de 2013, no último dia 23, a secretaria da Saúde confirmou a ampliação do Projeto Viver Bem, que promove caminhadas, dinâmicas em grupos e palestras aos usuários portadores de Hipertensão Arterial e Diabetes, incentivando a prática de exercícios físicos regulares.

A secretária Clarinda Carneiro informou que agora as UBS CSII, Jardim Emília e Jardim Real também atendem os inscritos. Neste 2º quadrimestre foram atendidos, pelo projeto, 55 munícipes nesses três novos postos participantes. Clarinda também disse que já foi solicitado ao jurídico da prefeitura um concurso público para contratação de um professor de Educação Física. Atualmente, o projeto Viver Bem é feito em parceria com a secretaria de Esportes.

A saúde deve fechar o ano, de acordo com a audiência, com 24% de investimentos do orçamento total, ultrapassando quase 10% o gasto mínimo exigido por lei.

Os números apresentados mostram que 10% dos gastos em atendimentos, medicações e partos foram feitos para pessoas de outros municípios, sobretudo de Itaquaquecetuba e Guarulhos.

Sobre as obras no setor, a secretaria informou que o Ministério da Saúde já liberou 20% do valor para reforma do CS II, ampliação da UBS Jardim Emília e construção das UBSs Jardim Fazenda Rincão e Barreto/Vila Pilar. O valor total de investimento do governo federal, sem a contrapartida do município é de R$1.659.900,00. Arujá ainda aguarda análise dos projetos de construção dos CAPS i, II, AD, UPA Porte 1 e as reformas do PAM e UBS Barreto.

Os vereadores questionaram sobre a contratação dos agentes comunitários de saúde. Clarinda respondeu que de acordo com a legislação os agentes não poderão ser mais terceirizados e que em outubro a secretaria vai encaminhar um Projeto de Lei à Câmara para criação dos referidos cargos para, posteriormente, realizar concurso público.

Sobre a CEJAM, que administra os Pronto Socorros e a Maternidade, que recebe pagamento global (total) da prefeitura, a secretária informou que está sendo elaborado um relatório para o jurídico tomar providências quanto a ressarcimento de valores já pagos já que ocorre falta de médicos nas unidades.