Ato de Coragem

por Roberto Drumond

Crônicas Em 01/03/2019 19:30:45

O vereador Luizão Arquiteto cometeu essa semana um ato de coragem. Convidou empresários e lideranças do município para um encontro sob o pretexto de debater o futuro da cidade nos próximos 20 anos. Foi pretexto, porque na verdade sabia que iria despencar sobre ele os problemas hoje enfrentados pela comunidade. E foi o que aconteceu!

Convidado a me manifestar detive-me a contar as manchetes do jornal publicadas há 20 anos (1998) quando era prefeita a atual secretária, Angela Sanches. No relato contei “Vereador pede que Prefeita renuncie” (pedido do então vereador Afonso Lenzi), pedido repetido na semana passada pelo vereador Reinaldo Nunes. Das CPIs destinadas a investigar e a cassar a Prefeita, como está acontecendo. Falei também do lixo de cidades grandes do entorno que era enviado para o “lixão” do Redentor. O município continua recebendo lixo em novo endereço.

Falei do transporte coletivo, na ocasião nas mãos da Eroles e hoje, com os mesmo problemas sob a direção da Viação Suzano. Da morte de pacientes sem atendimento médico (atualmente uma notícia ruim menos constante, mas ainda ocorrendo) e outras coincidências demonstrando que nos últimos vinte anos nada mudou inclusive o crescimento desordenado da população que só aumentou.

Na conclusão lembrei que dentro de 20 anos a cidade certamente estará engolida pelas cidades ao redor, absorvida pela expansão de São Paulo, Guarulhos, Jacareí e que o nosso grande problema será o que já é hoje: a baixa qualificação de nossos trabalhadores. As tecnologias vão substituindo o trabalho humano tornando o trabalhador menos habilitado irrelevante para a sociedade e adverti que se não cuidarmos hoje de nossos filhos e netos, em 20 anos eles estarão em condições piores do que temos hoje.

Digo que a ousadia necessária do Luizão, o presidente da Câmara, foi temerária porque, colocando-se diante de lideranças para discutir o futuro, sem dúvida nenhuma seria cobrado pelo presente, o que de fato aconteceu com a indignação de empresários que se manifestaram veementemente contra o atual exercício da vereança como se fossem os vereadores os únicos responsáveis pelo estado geral do município.

Luizão correu o risco e se beneficiou dele na medida em que os presentes ao evento na Câmara Municipal puderam perceber que mesmo diante da ineficiência do poder público existe, pelo menos, um grupo de vereadores disposto a debater a realidade e pedir ajuda em busca de soluções. A atitude do Vereador demonstrou que sabe que governar não é reunir um grupo de privilegiados e decidir, em surdina, o que a população deve fazer, mas buscar na opinião de cada um a solução para o que todos sentem.

Me junto a todos os que aprovaram e agradeceram ao Luizão Arquiteto pela iniciativa. Que ela se repita com debates mais próximos à nossa realidade e que a população assuma o seu papel na condução dos destinos da cidade porque, no final, quem escolhe os governantes é o povo.