Atenção na oficina

A maioria dos carros oficiais parados pertence a saúde

Trânsito Política Saúde Cidades Em 06/07/2018 15:09:44

Reportagem: Érica Alcântara

 

A oficina mecânica da Prefeitura de Santa Isabel é um núcleo de atendimento direto de todas as secretarias. Embora esteja localizada junto ao pátio geral da secretaria de Serviços Municipais, a oficina é responsável pela manutenção de todos os veículos oficiais, que se acumulam a espera de peças, aparentemente, amarradas na burocracia de compras e licitações.

 

Quem está à frente de batalha conta que há mais de 20 anos o problema se arrasta. Cada pasta é responsável pela compra de peças e controle dos carros, mas ocorre com frequência que a ata de compra para numa gaveta e ninguém reclama por ela em seu setor. Estas informações foram colhidas ali mesmo, entre uma ambulância e um ônibus escolar quebrados. Aqueles que se manifestam, não podem aparecer, lembram que a corda arrebenta para o lado mais fraco e recebem a reportagem com extrema cautela.

Além da falta de peças, falta material humano. A informação é que precisa de mais mecânico para desafogar a quantidade de veículos parados, além da capacitação. “Os carros novos com injeção eletrônica precisam de pessoas com novos conhecimentos e o conhecimento adiantaria o serviço”, dizem.

Visita oficial

Em uma visita acompanhada ao local, Roberval Mendes, coordenador da frota de serviços, ressalta algumas conquistas recentes. Os carros que antes eram largados no pátio sem qualquer preenchimento de ficha, agora devem cumprir um procedimento. “O motorista precisa explicar qual é o problema antes de deixar o carro. E os mecânicos criaram uma tabela que registra o histórico de cada veículo oficial, com datas de revisão, troca de óleo, pastilhas etc, isso não existia antes da gestão da Prefeita Fábia Porto”, revela.

Outro avanço significativo é o marcador de pneu a quente, Mendes conta que nenhum pneu era carimbado com o símbolo da prefeitura e número de registro e isso favorecia, e muito, a oportunidade de perdas e o desaparecimento de pneus novos substituídos por pneus velhos, de carros de funcionários ou prestadores de serviços oportunistas e desonestos.

- O poder público compra o mais barato, é o que determina a lei. Mas o registro dos pneus permite que nós tenhamos o histórico da vida útil do material podendo, nas futuras licitações, ser o diferencial nas especificidades que vão valorizar mais a durabilidade e segurança, que o barato que sai caro, conta.

Saúde na oficina

Há quatro mecânicos na oficina e, aparentemente, dos mais de 30 automóveis parados no pátio a espera de manutenção, 80% pertence a saúde. Algumas ambulâncias são novas, precisam apenas da troca de óleo, ou cuidados com a suspensão, mas esperam a compra. Um carro da equipe de zoonoses, por exemplo, foi desmontado há mais de dois meses e ocupa o elevador desde então, carente de peças, ainda atravanca o serviço dos demais veículos.

O secretário de Saúde, Cleber Vinicius, não se esquiva do problema, pelo contrário, ressalta que possivelmente a saúde será sempre a pasta com maior número de veículos parados para manutenção, porque é a detentora da maior frota municipal e a utilização dos carros é intensa- “Transportamos diariamente 150 pessoas para fora do município, seja para consulta, ou para tratamento de especialidades. O volume de demanda é muito por isso temos esta realidade e trabalhamos dentro do que o orçamento nos permite”, explica.